China é o quarto país a extrair gelo inflamável

Agência EFE

PEQUIM - A China se tornou o quarto país do mundo, após Japão, Estados Unidos e Índia, a extrair hidratos de gás, uma energia de nova geração conhecida como gelo inflamável, que os cientistas consideram uma alternativa aos combustíveis fósseis, confirmaram nesta quarta-feira fontes oficiais.

- A prospecção começou em 1999. Após oito anos, conseguimos extrair duas mostras de hidratos de gás do Mar do Sul da China. Uma estava a uma profundidade de 183 a 201 metros abaixo do fundo do mar, e a outra, entre 191 e 225 metros - explicou à Efe um porta-voz do escritório de imprensa do Instituto Geológico da China.

Os hidratos de gás são um composto cristalino de gelo, inflamável, contendo moléculas de metano. Cada metro cúbico do combustível pode gerar a energia equivalente a algo entre 160 e 180 metros cúbicos de gás natural.

Segundo as estimativas iniciais dos pesquisadores chineses, o volume potencial de hidratos de gás na região é superior ao equivalente a 100 milhões de toneladas de petróleo.

- Nosso próximo passo será explorar a reserva - disse o porta-voz, acrescentando que as reservas mundiais de hidratos de carbono podem duplicar as reservas conhecidas até o momento de carvão, petróleo e gás natural.

A China espera poder começar a explorar o material para geração de energia a partir de 2030, 15 anos mais tarde que os Estados Unidos, acrescentou.

Desde o início da pesquisa, em 1999, o Ministério de Terra e Recursos dedicou US$ 65,4 milhões.

Os hidratos de carbono são estáveis apenas a baixas temperaturas ou pressões muito altas. São muito frágeis, e se produzem principalmente no fundo do mar ou sob a tundra, em grandes altitudes.