ONU marca reunião sobre mudanças climáticas em Genebra para julho

REUTERS

GENEBRA - Líderes políticos e empresariais do mundo todo devem se reunir em Genebra, no próximo mês, para intensificar os esforços no combate às mudanças climáticas, direitos humanos e luta contra a corrupção, afirmou a Organização das Nações Unidas (ONU) na segunda-feira.

O encontro -- do qual participariam alguns chefes de governo, ministros e líderes de organismos da sociedade civil -- vem sendo descrito como uma cúpula e servirá como primeira reunião para rever o Pacto Global de 'cidadania corporativa', lançado em julho de 2000.

- Esperamos que a cúpula mostre que, se uma empresa não se envolver com questões ambientais, sociais e de eficiência governamental, não conseguirá ser uma empresa de liderança - afirmou em Nova York George Kell, diretor-executivo do Escritório das Nações Unidas para o Pacto Global.

Autoridades da ONU afirmaram que o secretário-geral da entidade, Ban Ki-Moon, comandará o encontro, do qual devem participar também o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e o presidente da África do Sul, Thabo Mbeki.

Entre as grandes empresas que enviarão alguns de seus principais executivos estão a Anglo American plc, a Endesa (da Espanha), a Fuji Xerox Company Ltd (do Japão), a LM Ericsson (da Suécia), a Tata Steel (da Índia), a Coca Cola Company e o banco suíço UBS AG.

O pacto surgiu sete anos atrás, quando dezenas de líderes empresariais aderiram a uma iniciativa para aproximar as grandes empresas do mundo todo das agências da ONU e de grupos da sociedade civil com vistas a promover os princípios universais de igualdade social e proteção ao meio ambiente.

O documento visa 'consolidar a cidadania empresarial responsável a fim de que o setor possa ser parte da solução dos desafios impostos pela globalização' e a fim de que possa ajudar a criar uma economia mais sustentável e mais inclusiva, afirma um documento oficial do encontro.

As empresas que assinaram o pacto -- que não possui nenhum mecanismo para garantir sua efetivação -- são instadas a adotar como base de suas estratégias de negócio e operação os padrões da ONU para os direitos humanos e trabalhistas, para o meio ambiente e para o combate à corrupção.

As mudanças climáticas também devem ser um assunto de destaque no encontro desta semana, na Alemanha, entre os líderes do Grupo dos Oito (G8), ao lado de assuntos como a ajuda e o perdão de dívidas para países africanos.