Macacos também raciocinam em função das probabilidades de sucesso

Agência EFE

LONDRES - Uma equipe americana de cientistas descobriu que não são só os humanos que pensam em alternativas em função das probabilidades de sucesso, mas os macacos também são capazes de tomar decisões em função do que eles calculam que ajudará a obter uma recompensa maior. Publicado neste domingo pela revista científica britânica 'Nature', o estudo demonstra que os neurônios do lóbulo parietal do cérebro dos primatas também realizam os processos relacionados à tomada de decisões baseadas em suas probabilidades de êxito.

Liderado pelos professores Tianming Yang e Michael Shadlen, da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, a equipe de pesquisadores treinou dois macacos rhesus para que optassem entre um par de objetos coloridos. Antes, mostraram aos primatas de forma seqüencial quatro figuras, sendo que cada uma levava a um índice maior ou menor de probabilidade de recompensa. Os macacos aprenderam a usar a informação probabilística a partir das diferentes combinações destas figuras e a raciocinar em cima de qual delas traria maior chance de sucesso.

Tomar decisões é um processo complicado que geralmente se baseia em mais de uma evidência. O cérebro precisa combinar todas as opções para maximizar as probabilidades de sucesso. Ao escanear uma área do córtex cerebral dos primatas, os cientistas demonstraram que os neurônios desta região fizeram um cálculo básico de probabilidades antes de o animal escolher a opção mais promissora. Segundo os autores, os macacos têm capacidades, embora em estágio primitivo, de dedução probabilística, faculdade que também é encontrada nos humanos, e que se baseia na extração e combinação de uma série de símbolos visuais.