Cientistas batem recorde de distância em comunicação quântica

Agência EFE

LONDRES - Uma equipe de cientistas europeus bateu o recorde de distância em comunicação quântica ao conseguir ligar os 144 quilômetros que separam dois pontos das ilhas canárias de Palma e Tenerife usando este tipo de transmissão de informações codificadas. Esta conquista, descrita no último número da revista científica britânica 'Nature Physics', representa um avanço nas redes de telecomunicações via satélite baseadas nesta técnica, que usa as propriedades de partículas mínimas, como fótons (partículas de luz) e átomos, para transmitir mensagens secretas com total segurança.

Os pesquisadores de Áustria, Alemanha, Reino Unido, Itália e Holanda ultrapassaram largamente a distância máxima que, até então, havia sido possível cobrir com um sinal quântico transmitido através do ar: 23 quilômetros. Para isso, utilizaram um dos telescópios que a Agência Espacial Européia tem em Tenerife como receptor do sinal que foi enviado a partir do Roque de los Muchachos, o ponto mais alto da ilha de Palma, localizado a 2.392 metros acima do nível do mar.

Estes dois pontos foram unidos através de um sinal aéreo direto, mas os cientistas exploram agora também a possibilidade de desenvolver redes de telecomunicações quânticas em larga escala via satélite, o que permitiria cobrir distâncias maiores até do que é possível com a fibra óptica, segundo os pesquisadores.

- Neste trabalho, uma estação ótica terrestre, criada para comunicações ópticas via satélite, foi adaptada para ser utilizada em protocolos de comunicação quântica - disseram os especialistas no artigo da revista.

- Várias técnicas como a de um anel fechado foram implementadas para manter o enlace de apenas um fóton ao longo dos 144 quilômetros que separam as ilhas canárias de Palma e Tenerife - acrescentaram.

O teletransporte quântico, que não transporta nem energia nem matéria, consiste na transmissão de informação de um ponto a outro de forma aparentemente imediata mediante o entrelaçamento de partículas mínimas, geralmente fótons.