Hubble comemora 17 anos com foto de nascimento e morte de estrela

Agência EFE

WASHINGTON - O telescópio espacial Hubble da Nasa fotografou uma imensa nebulosa na Via Láctea que mostra um caos cósmico onde nascem e morrem as estrelas, numa imagem divulgada para comemorar 17 anos de funcionamento quase ininterrupto do observatório espacial em órbita.

A imagem, formada com uma série de 48 fotos captadas pelo observatório em órbita, cobre uma distância de 50 anos-luz na Nebulosa Carina, informou a Nasa em comunicado.

A imensa nebulosa contém pelo menos 12 estrelas que, segundo os cálculos dos astrônomos, seriam de 50 a 100 vezes maiores que o nosso Sol.

A maior delas, à esquerda na imagem, é Eta Carinae, que se encontra na última etapa de sua vida, como provam as nuvens de gás e pó que são o presságio de sua morte, numa explosão que criará uma supernova.

Segundo o comunicado da Nasa, o caos cósmico da nebulosa se iniciou há 3 milhões de anos, quando suas primeiras estrelas se condensaram no meio de um enorme nuvem de hidrogênio molecular. É possível que o Sol e nosso sistema solar tenham nascido num fenômeno semelhante, há 4,6 bilhões de anos.

"Ao olhar a nebulosa Carina estamos vendo a gênese das estrelas como ocorre comumente numa galáxia', diz o comunicado. Os astrônomos da Nasa calculam que a nebulosa se encontra a uma distância de 7.500 anos-luz.

Ao longo de 17 anos, o Hubble realizou quase 800 mil observações dos fenômenos cósmicos e o enorme volume de informação que proporcionou ajudou os astrônomos a aperfeiçoar seus conhecimentos sobre o Universo.

Segundo os astrônomos, o Hubble é o instrumento científico mais produtivo já construído. No entanto, seu futuro está em dúvida. Algumas de suas partes começaram a falhar e até o momento a Nasa não decidiu se enviará uma missão para reparos.