Gripe aviária se espalha por mais fazendas em Bangladesh

REUTERS

DACA - Bangladesh afirmou neste sábado que a gripe aviária atingiu mais seis fazendas, apesar dos esforços de veterinários, autoridades sanitárias e da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) para conter o vírus.

- A infecção foi detectada numa fazenda no distrito de Magura, 200 quilômetros a oeste da capital Daca, e em cinco fazendas em Savar, no distrito de Daca - afirmou um porta-voz do ministério responsável.

O vírus H5N1 da gripe aviária vem se disseminando pelas criações de aves em Bangladesh desde que foi detectado em seis fazendas do país no dia 22 de março, apesar da proibição do transporte e da venda de aves nas áreas contaminadas.

O distrito de Magura fica próximo ao Estado indiano de Bengala Ocidental, onde a gripe aviária já havia sido detectada.

Bangladesh também faz fronteira com Mianmar, que combate a doença. Mas ninguém sabe ao certo como a gripe aviária entrou em Bangladesh, em março.

Uma equipe da FAO com 10 pessoas chegou a Daca na semana passada e já visitou algumas das fazendas atingidas e também laboratórios.

Desde que o vírus H5N1 foi detectado, cerca de 98 mil frangos foram isolados em 38 fazendas de nove distritos.

Nenhum humano foi contaminado com a doença.

O vírus já infectou quase 300 pessoas em 12 países desde 2003, e matou mais da metade delas.

Os casos de gripe aviária em humanos geralmente estão ligados ao contato com aves contaminadas. Especialistas da área de saúde temem que o vírus possa passar por mutação e ser transmitido facilmente entre humanos, provocando uma pandemia capaz de afetar milhões de pessoas.

Bangladesh tem 125 mil pequenas e grandes avícolas, produzindo 250 milhões de aves e 6 bilhões de ovos anualmente. Cerca de 4 milhões de bengalêses estão direta ou indiretamente associados à criação de aves.