Vaticano afirma que bebês que morrem sem batismo vão para o paraíso

Agência AFP

ROMA - Os teólogos do Vaticano estão convencidos, após vários meses de reflexão, que o limbo não existe e que as criancinhas mortas sem o sacramento do batismo vão diretamente para o paraíso.

Um documento da comissão teológica pontifical teve alguns extratos publicados no site da agência Catholic News Service (CNS) mas ainda não foi divulgado pelo Vaticano, apesar de pronto há várias semanas - precisou à AFP um integrante da comissão, o arcebispo de Dijon (França) Roland Minnerath.

O texto foi aprovado com a concordância do Papa Bento XVI, informou o secretariado deste órgão consultivo da cúria, precisando, no entanto, que as conclusões não têm valor de dogma.

A idéia do limbo, uma espécie de terra de ninguém, onde a tradião católica colocava os pequeninos sem batismo, reflete "uma visão muito restrita da salvação", explicaram teólogos que trabalham no assunto desde novembro de 2005.

A hipótese da existência do limbo, relacionada à concepção cristã da Salvação, foi transmitida pelo teólogo Santo Agostinho, morto em 430.