Pesquisa revela método para cultivar madeira sem cortar árvores

Pesquisadores mostraram que podem controlar as propriedades do material vegetal cultivado em laboratório e permitir a produção de produtos de madeira com pouco desperdício

Foto: Folhapress / Lalo de Almeida
Credit...Foto: Folhapress / Lalo de Almeida

Citando uma possível solução para o desmatamento na Amazônia, cientistas do MIT (Massachusetts Institute of Technology) prometem acabar com nossa necessidade de cortar árvores.

O estudo, publicado na revista Materials Today, relembra que, todos os anos, o planeta perde cerca de 10 milhões de hectares de floresta. Entretanto, diz a publicação, "uma solução está disponível".

A equipe de cientistas do MIT afirma que a madeira cultivada em laboratório pode substituir o desmatamento. Foi desenvolvida uma técnica pela qual a madeira de qualquer formato e tamanho pode ser produzida, e sem sair do laboratório.

Na prática, é utilizada uma planta com flores conhecida como zínia comum (Zinnia elegans). Em seguida, são extraídas as células de suas folhas, que podem ser preservadas em uma mistura líquida por vários dias.

Um material a base de gel enriquecido com hormônios e nutrientes é então usado para refinar ainda mais a mistura. As células dão origem a novas células vegetais, que são tratadas em condições de laboratório.

"No corpo humano, você tem hormônios que determinam como suas células se desenvolvem e como surgem certas características. Da mesma forma, alterando as concentrações de hormônios no caldo nutriente, as células vegetais respondem de forma diferente. Simplesmente manipulando essas pequenas quantidades químicas, podemos causar mudanças bastante drásticas em termos de resultados físicos", diz Ashley Beckwith, autora do estudo.

O material vegetal resultante no laboratório é semelhante à madeira, então qualquer produto de madeira pode ser "cultivado", sejam cadeiras ou sofás, sem a necessidade de processar madeira ou cortar árvores.
Este material vegetal é usado em uma impressora 3D (da mesma forma que você imprimiria em 3D um objeto de plástico) para converter essa solução de gel cultivada em muitas estruturas. Após três meses de incubação no escuro, o material desidrata e o resultado final é um objeto personalizado feito de matéria vegetal semelhante à madeira.

Os pesquisadores mostraram que, ao ajustar certos produtos químicos usados durante o processo de crescimento, eles podem controlar com precisão as propriedades físicas e mecânicas do material vegetal resultante, como sua rigidez e densidade.

Assim, eles podem cultivar material vegetal em formas e tamanhos que não são encontrados na natureza (como um losango) e não podem ser facilmente produzidos por métodos agrícolas tradicionais.

Durante os experimentos, os especialistas descobriram, por exemplo, que quanto mais baixos os níveis hormonais, mais materiais vegetais arredondados e de células abertas eles obtinham. Essa diferença pode ser usada para fazer produtos mais macios e leves, ou mais fortes e rígidos, conforme necessário.

O próximo passo, segundo os pesquisadores, é descobrir como aplicar o método a outras plantas. "Se for bem-sucedida, a madeira cultivada em laboratório pode nos ajudar a acabar com o desmatamento de uma vez por todas", dizem os pesquisadores. (com agência Sputnik Brasil)

 

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais