Vulcão subaquático provoca 85 mil terremotos e desloca uma ilha perto da Antártica, revela estudo

...

Foto / René Koster Photography
Credit...Foto / René Koster Photography

Um vulcão subaquático que estava adormecido perto da Antártica acordou, desencadeando uma sequência de 85.000 terremotos.

O enxame de sismos, que começou em agosto de 2020 e abrandou em novembro do mesmo ano, é a atividade sísmica mais forte já registrada na região.

Os tremores foram provavelmente causados por uma extensão saliente de magma quente que empurrava na crosta, aponta nova pesquisa.

A série de terremotos ocorreu no monte submarino Orca, que é um vulcão subaquático localizado perto da ilha Rei George, na Antártica, no estreito de Bransfield, que tinha permanecido inativo durante "muito tempo".

Pesquisadores utilizaram sismômetros e técnicas de sensoriamento remoto para determinar quanto tempo os terremotos duraram e o que os causou.

 

 

Sequência recorde de terremotos atinge a Antártica com o despertar de vulcão adormecido. Um vulcão subaquático adormecido há muito tempo perto da Antártica acordou, desencadeando uma série de 85.000 terremotos.

Os terremotos ocorrem principalmente em regiões vulcânicas ativas, portanto o movimento do magma na crosta terrestre é considerado como a causa.

Durante esta sequência de sismos, o solo da ilha Rei George se moveu 11 centímetros, sugerindo que uma parte saliente de magma quase atingiu a superfície.

"Houve ocorrências semelhantes em outros lugares da Terra, mas esta é a primeira vez que a observamos lá", disse a coautora do estudo Simone Cesca, sismóloga do Centro de Pesquisa Geológica (GFZ) em Potsdam na Alemanha. "Normalmente, esses processos ocorrem em escalas de tempo geológico", em vez de serem durante o decurso de uma vida humana. "Então, de certa forma, temos sorte em assistir a isto", acrescentou cientista, escreve portal Live Science.

Pesquisadores dizem que a série de sismos foi causada por uma rápida transferência de magma do manto da Terra perto do limite entre crosta e manto para quase até a superfície. (com agência Sputnik Brasil)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais