Explosão épica de rara estrela é detectada a mais de 4.500 anos-luz da Terra

.

Foto: Pixabay / ipicgr
Credit...Foto: Pixabay / ipicgr

A recente explosão da nova RS Phiuchi, localizada na constelação do Serpentário, a aproximadamente 4.566 anos-luz da Terra, é tão intensa que é possível observá-la a olho nu a partir de nosso planeta, segundo o portal Science Alert.

A RS Phiuchi é um sistema binário integrado por um estrela anã branca e uma estrela gigante vermelha. Enquanto giram uma ao redor da outra, a anã branca acumula o material gasoso que se desprende de sua companheira, composta em sua maioria por hidrogênio.

RS Ophiuchi OUTBURST
Taken by Ernesto Guido, Marco Rocchetto & Adriano Valvasori on August 9, 2021 @ Remotely from Australia through TELESCOPE LIVE networkhttps://t.co/ttjH74mm0l

recurrent nova RS Oph is in Outburst. The last large outburst of RS Oph occurred in Feb. 2006, ? pic.twitter.com/FMqDZEQ0Xx

— mizuho kai (@mizuho73700856) August 9, 2021

?Explosão da RS Phiuchi. Captada por Ernesto Guido, Marco Rocchetto e Adriano Valvasori no dia 9 de agosto de 2021. Remotamente a partir da Austrália através da rede do Telescópio LIVE. A RS Oph está em explosão recorrente. A última grande explosão da RS Oph ocorreu em fevereiro de 2006.

Esta matéria permanece na superfície da anã branca, acumulando uma quantidade colossal de energia até alcançar tais níveis de pressão e temperatura que acaba provocando uma explosão termonuclear.

A RS Phiuchi experimenta este tipo de explosão de maneira recorrente, a cada 15-20 anos, um fenômeno raro em nossa galáxia.

A última vez que ocorreu uma explosão da RS Phiuchi foi em fevereiro de 2006.

[Explosão de brilho da nova RS Oph, visível a olho nu com magnitude +4. Mapas de pesquisa. Informação: J.P. Navarro Pina.]

Em cada oportunidade, a explosão faz com que a matéria seja violentamente expulsa para o espaço, alcançando velocidades próximas aos 2.600 quilômetros por segundo.

Após este momento de máxima luminosidade, a RS Phiuchi definha gradualmente no decurso de diversas semanas, até ficar completamente invisível. (com agência Sputnik Brasil)