Intensivista russo revela erro fatal no tratamento da covid-19 em casa

O perigo da automedicação

Sputnik/Serviço de imprensa do Ministério da Defesa da  Rússia
Credit...Sputnik/Serviço de imprensa do Ministério da Defesa da Rússia

O cirurgião e intensivista russo Alok Mishra, que trabalha com infectados pelo coronavírus, contou sobre o perigo de tratamento errado da covid-19 em casa, em entrevista ao jornal "Komsomolskaya Pravda".

Segundo o intensivista, a maioria dos pacientes em tratamento intensivo chega a estado crítico por causa de tratamento errado em casa, tomando grandes doses de antibióticos e adiando internação.

Mishra contou o exemplo de uma mulher que foi proibida de ir para o hospital por seus filhos que a medicaram em casa. Depois de algumas semanas, chegou ao hospital com imunidade muito fraca devido a antibióticos. Os médicos tentaram salvar a vida da mulher, mas não conseguiram.
Em caso de covid-19 grave, os pacientes têm pulmões "cheios de coágulos".

Alok Mishra ressaltou que se um doente está com sintomas há dois ou três dias, é preciso ir ao médico, e depois de uma semana é recomendada tomografia computadorizada para busca de vestígios de pneumonia.

É necessário monitorar o estado de saúde muito atentamente. Se o paciente não tem problemas cardíacos ou diabetes, há mais chances de ter covid-19 leve, ou seja, sem risco de vida.

O Brasil já registrou 7.263.619 casos, 187.291 mortes e 6.469.310 pacientes recuperados da covid-19. No mundo há 77.455.985 casos confirmados, 1.704.680 óbitos e 43.719.339 pacientes recuperados do coronavírus. (com agência Sputnik Brasil)