Desfile da Águia de Ouro terá fogo e modelos tomando banho

Inquisição, fogueiras de São João, bombeiros e lampiões. A Águia de Ouro pretende misturar tudo isso e atear fogo na avenida com o enredo Com Todo o Gás! A Águia de Ouro é Fogo!, do carnavalesco Cláudio Cebola.

Ele garante que o público vai ver "fogo de verdade" no sambódromo durante o desfile que ilustrará episódios ligados à história do fogo até chegar ao gás natural. "Para contar isso, levaremos até modelos tomando banho quente no Anhembi", adianta Cebola ao Terra, no barracão da escola de samba.

O carnavalesco diz que a agremiação fará uma homenagem aos bombeiros na comissão de frente. "Não posso falar de fogo sem homenagear os nossos heróis, que estão sempre atentos a qualquer foco de incêndio para salvar vidas", afirma. No abre-alas, a escola terá uma águia com cerca de 1m de neon, um recorde no Carnaval paulista, segundo ele.

Prometeu, Nero, Joana D´Arc e queimas de fogos 

Os cinco carros da agremiação e as fantasias dos 3,5 mil componentes vão retratar a descoberta do fogo nas civilizações primitivas, a purificação hindu, o caso do Imperador Nero que mandou atear fogo em Roma, enquanto tocava arpa, e a história mítica de Prometeu que roubou o fogo de Zeus, deus do Olimpo, para dar aos mortais.

A escola dedicará uma das alegorias a Joana D´Arc, que depois de queimada, se tornou heroína e foi também canonizada. "Venho com um tribunal de inquisidores nesse carro que vão gritar aos cientistas, poetas, bruxas e hereges: queimem, queimem", diz Cláudio Cebola.

O quarto carro pretende abordar a chegada do gás natural às cidades, representado pelo comércio de lampiões, que costumavam ser acesos em São Paulo por trabalhadores chamados de "vagalumes", por volta das 18h30. "Quando os lampiões começam a ser acesos, chegam os poetas e os boêmios para se juntar na praça. Começa a nostalgia e o clima romântico na cidade. O gás começa a te proporcionar isso, trazendo prazer no banho quente e fogão com gás natural", explica o carnavalesco.

Águia apagará fogo de Valesca Popozuda 

 Na quinta alegoria, a Águia de Ouro vai apresentar cenas do folclore popular como o pajé que protege a floresta do fogo que pode destruir tudo, o violeiro tocando viola caipira perto da fogueira em noite de lua cheia e a queima de fogos de artifícios tão comuns nas festas de São João, no interior paulista. "A águia que começou a entrar em chama no abre-alas como uma fênix se tornará um grande pássaro de ouro nesse último carro, que vai representar o guardião das nossas florestas. A gente quer encerrar o desfile com um final apoteótico", conta.

Outra novidade que Cláudio Cebola entrega é que a bateria da Águia de Ouro vai representar uma brigada de incêndio e vai apagar o fogo ruim, que destrói tudo, representado pela rainha de bateria da agremiação, Valesca Popozuda. "A Águia de Ouro vai mostrar a pirotecnia e a teatralidade, misturadas ao espetáculo carnavalesco. Uma escola que volta a trazer o requinte e o luxo para a avenida", afirma Cebola.