S&P elogia medidas de austeridade em Portugal

SÃfO PAULO, 4 de outubro de 2010 - As novas medidas de austeridade anunciadas por Portugal são um "passo essencial" para o saneamento de suas contas públicas, estimou nesta segunda-feira a agência de classificação de risco Standard & Poor's (S&P).

Segundo a S&P, estas medidas deverão permitir a Portugal reduzir seu déficit em 2011 em 4,6 pontos percentuais o que, segundo a agência, representa o esforço "mais elevado da zona do euro".

O governo português prometeu reduzir o déficit público de 9,3% em 2009 para 7,3% no fim de 2010 e até 4,6% no ano que vem. Em particular, prevê em 2011 um corte dos salários dos funcionários.

Esta nova medida de austeridade deverá, segundo a S&P, ter um efeito recessivo devido a uma previsível queda do consumo. A economia portuguesa poderá contrair-se 1,8% no ano que vem, segundo estimou a agência, quando as previsões do governo apontam para um crescimento de 0,5% do PIB.

Para a Standard & Poor's, "a probabilidade de uma falta de pagamento da dívida portuguesa continua sendo extremamente fraca", sobretudo levando em conta que o governo português está "disposto a tomar medidas de consolidação orçamentária adicionais em caso de necessidade".

Segundo a agência, "apesar de minoritário no parlamento, o governo vai continuar adaptando sua política para atingir seus objetivos orçamentários". Por outro lado, afirmou a S&P, "apesar da hostilidade manifestada pela oposição à alta dos impostos, as propostas orçamentárias do governo deverão ser incluídas no orçamento de 2011 e aprovadas pelo parlamento".

(Redação com AFP - Agência IN)