Verônica Serra depõe na PF; advogado quer investigação paralela

Filippo Cecílio, Portal Terra

SÃO PAULO - O advogado Sérgio Rosenthal, que representa Verônica Serra e Alexandre Bourgeois no caso da quebra de seus sigilos fiscais, informou nesta quarta-feira (15) que pretende realizar uma investigação paralela à da Polícia Federal com o intuito de descobrir o uso feito dos dados acessados de seus clientes.

A filha e o genro de José Serra prestaram depoimento por pouco mais de uma hora na sede da Polícia Federal, apenas para formalizar nos autos que foram vítimas de um crime. A Polícia Federal já tinha essas informações, mas precisava ouvir os principais envolvidos no caso.

"Vamos avaliar todos os materiais, notícias, tudo o que foi publicado para descobrir qual foi a utilização dessas informações sigilosas, para que possamos tentar chegar à autoria do crime. Solicitamos cópia integral desse inquérito que está em andamento na Polícia Federal e vamos avaliar todas as provas, todas as diligências coletadas pela autoridade policial para ajudar", disse o advogado.

Rosenthal negou que essa atitude fosse motivada por qualquer tipo de desconfiança em relação ao trabalho desenvolvido pela polícia. Ele disse que esse tipo de atitude é um direito inerente a qualquer vítima de crime no Brasil.

Rosenthal afirmou que tem absoluta convicção de que o contador Antonio Carlos Atella Ferreira será indiciado "ao menos" pelo uso de documentos falsos. Ele informou, ainda, que irá aguardar a conclusão das investigações, tanto na Polícia Federal quanto na Polícia Civil, para processar quem violou o sigilo de seus clientes.

Verônica e Alexandre cederam material gráfico para confronto com as assinaturas que constam nos requerimentos utilizados por Atella para violar seus dados fiscais.

Por fim, o advogado disse que é possível inferir que houve conotação política nesse caso. "O fato de terem sido violados os sigilos da filha e do genro de um candidato à presidência, assim como de outras pessoas ligadas ao partido, é possível inferir que há conotação política nesses fatos".

Questionado se Verônica e Alexandre já sabiam do ocorrido, conforme o candidato José Serra já sinalizou em diversas declarações, o advogado desconversou. Ele disse, ainda, que pretende investigar tudo o que já foi publicado sobre o caso, inclusive o que foi escrito pelo jornalista Amaury Ribeiro Júnior, para verificar se existe algo nessa papelada que não seja de conhecimento comum.