Uruguai tenta resgatar tradição contra freguês de sul-americanos

Portal Terra

JOHANNESBURGO - Uruguai e Coreia do Sul se enfrentam neste sábado, às 11h (de Brasília), no Estádio Nelson Mandela, e lutam por uma vaga nas quartas de final na Copa. Copeiros, os cisplatinos jamais caíram em jogos mata-mata diante de uma seleção sem tradição no torneio, enquanto os sul-coreanos encaram uma freguesia histórica contra equipes sul-americanas.

O confronto é bastante aguardado entre os uruguaios, que não se classificavam às oitavas de final desde a Copa de 1990. Os asiáticos, por sua vez, também vivem grande expectativa, já que essa foi a primeira vez que o país atingiu a fase de mata-mata em solo estrangeiro. Por isso, o Terra listou uma série de fatos sobre esse confronto, que abre a fase eliminatória do Mundial de 2010.

Confira abaixo:

Uruguai copeiro: nas doze vezes em que a seleção jogou partidas classificatórias em Mundiais (incluindo os três jogos do quadrangular final de 1950), jamais foi derrotada por um país que não fosse campeão do mundo ou considerado favorito. Só caiu diante da Alemanha (1966, quartas de final), Brasil (semifinal de 1970), Argentina (oitavas de 1986) e Itália (1990, oitavas).

A exceção: a única equipe que eliminou os cisplatinos em uma Copa e nunca foi campeã do planeta foi a poderosa Hungria, de Puskas, que era favorita ao título e venceu por 4 a 2 na semifinal de 1954.O Uruguai venceu todos os outros seis jogos que disputou em partidas de mata-mata, e empatou um, em 1950, contra a Espanha, pelo quadrangular final.

O Tabu: os sul-coreanos jamais venceram o adversário deste sábado em toda a história do confronto. Foram cinco duelos, com quatro derrotas e um empate. O último encontro foi no dia 24 de março de 2007, em Seul, e acabou com triunfo cisplatino por 2 a 0.

Tabu parte II: a Coreia do Sul nunca triunfou sobre um país da América do Sul em Mundiais. São quatro duelos, com três derrotas e um empate. Nos últimos 10 anos, incluindo amistosos, o país é freguês de sul-americanos com sete derrotas, quatro empates e uma vitória, que foi justamente em 2010, contra o Equador. No período, foram três derrotas para o Uruguai.

Revanche sul-coreana: apenas uma vez a equipe sul-americana enfrentou uma seleção asiática em Mundiais, e foi justamente a Coreia do Sul. Na Copa de 1990, Daniel Fonseca marcou aos 45min do segundo tempo o tento da vitória uruguaia por 1 a 0 e eliminou os rivais da competição. Quem vencesse, avançava às oitavas daquela Copa, em duelo válido pelo Grupo E.

Bicampeão de volta: há 40 anos que a Celeste Olímpica não vai além das oitavas. Curiosamente, nunca passaram por esse estágio, apesar dos dois títulos. Isso, porque antes de 1986 não existiam jogos de oitavas de final em Copas, e foi eliminada nas duas vezes que disputou essa fase, em 1986 e em 90.

Tri a vista: desde 1950 o Uruguai não passava de uma primeira fase de Copa sem sofrer gols, quando eliminou a Bolívia no Grupo D com uma goleada de 8 a 0. A outra vez que isso aconteceu foi em 1930, com vitórias sobre Peru (1 a 0) e Romênia (4 a 0). Coincidência ou não, esses foram os anos dos dois títulos mundiais do país.

As Campanhas:

Uruguai - 1º lugar do Grupo A

0 x 0 França - 11/06, Cidade do Cabo

3 x 0 África do Sul - 16/06, Pretória

(Diego Forlan, 24min do 1º tempo e 35min do 2º; Álvaro Pereira, aos 50min do 2º tempo)

1 x 0 México - 22/06, Rustemburgo

(Luis Suarez, 43min do 1º tempo)

Coreia do Sul -2º lugar do Grupo B

2 x 0 Grécia, 12/06, Port Elizabeth

(Lee Jung Soo, 7min do 1º tempo; Park Ji Sung, 7min do 2º tempo)

1 x 4 Argentina, 17/06, Johannesburgo

(Lee Chung Young, 46min do 1º tempo)

2 x 2 Nigéria, 22/06, Durban

(Lee Jung Soo, 38min do 1º tempo; Park Chu Young, 4min do 2º tempo)