Costa do Marfim faz 3 na Coreia do Norte, mas dá adeus

Portal Terra

JOHANNESBURGO - A vitória da Costa do Marfim nesta sexta-feira não serviu para classificá-la às oitavas de final da Copa do Mundo. Com um grande início de partida no Estádio Mbombela Stadium, Nelspruit, a equipe até sonhou com uma goleada história sobre a Coreia do Norte, mas parou no placar de 3 a 0.

Na realidade, nem a chuva de gols que se desenhou depois que Yaya Touré e Romaric abriram 2 a 0 com 24 minutos de jogo colocaria os marfinenses na próxima fase. Isso porque o empate por 0 a 0 entre Brasil e Portugal, que no mesmo horário se enfrentavam em Durban, já eliminaria os africanos de qualquer forma.

Em sua segunda Copa do Mundo, a Costa do Marfim caiu em um grupo forte como na de 2006, na Alemanha (quando era acompanhada por Argentina, Holanda e Sérvia e Montenegro) e novamente caiu na primeira fase. Desta vez, porém, colecionou um ponto a mais, graças ao empate sem gols com Portugal.

Já a Coreia do Norte, uma das grandes zebras da Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra, onde bateu a Itália e só parou nas quartas de final, ficou longe de repetir o desempenho em 2010. Na África do Sul, a seleção asiática até esboçou uma surpresa ao complicar a vida do Brasil na estreia, mas seu sistema defensivo não resistiu e terminou a competição com 12 gols sofridos - apenas um, sobre o goleiro Júlio César, foi marcado.

O jogo

Em busca de uma goleada histórica que poderia colocar sua equipe nas oitavas de final da Copa do Mundo, o técnico Sven-Göran Eriksson mudou bastante o time em relação àquele que perdeu por 3 a 1 para o Brasil no último domingo.

O sueco escalou dois laterais mais ofensivos (Boka pela esquerda e Eboué, que vinha jogando como volante, pela direita), e ainda promoveu as entradas do meio-campista Romaric e dos atacantes Gervinho e Keita para fazer companhia a Drogba, barrando o antes intocável Kalou, do Chelsea. Na Coreia do Norte, entraram os 11 jogadores que perderam por 7 a 0 para Portugal, ainda em um defensivo esquema de 4-5-1.

Precisando de um ¿caminhão¿ de gols para se classificar às oitavas de final, a Costa do Marfim rapidamente partiu ao ataque. Logo no primeiro minuto de partida, Keita e Romaric, duas novidades como titular, fizeram boa jogada; o segundo tocou para o primeiro, que entrou livre na área e exigiu boa defesa do goleiro Myong Guk.

Aos 10min, os africanos assustaram novamente e desta vez o arqueiro falhou, deixando passar um cruzamento rasteiro de Gervinho; a bola, vindo da esquerda, atravessou toda a pequena área, mas Kwang Chon afastou o perigo.

De tanto insistir, a Costa do Marfim marcaria um minuto depois, quando Drogba aproveitou cruzamento de Keita e marcou. Porém o gol foi bem anulado por impedimento. Aos 14min, o gol valeu: Boka fez boa jogada pela esquerda e serviu para Yaya Touré; na risca da grande área, o volante dominou a bola e chutou com categoria, no canto esquerdo do goleiro.

Passados três minutos, a blitz marfinense continuou e a vantagem poderia ter sido aumentada. Contudo, o chute de Romaric, vindo de fora da área, bateu na trave direita de Myong Guk e não entrou.

Aos 18min, a Coreia do Norte enfim completou seu primeiro arremate na partida. Ele só poderia vir em uma cobrança de falta, batida por Hong Yong Jo por sobre a trave.

No lance seguinte a seleção tomou mais um gol. Novamente bem, Boka cruzou na medida para Drogba, que dominou com categoria, girou o corpo para cima da marcação e fuzilou de perna esquerda, acertando o travessão; no rebote, Romaric estava livre na entrada da pequena área e cabeceou para as redes vazias.

Aos 23min, os norte-coreanos tentaram uma resposta de novo por meio de uma falta. Desta vez Yong Jo bateu muito bem; a bola passou raspando à trave direita de Barry, que, parado, só observou.

Depois de uma sequência de chutes à longa distância, a Costa do Marfim voltou a invadir a área rival aos 31min, quando Keita recebeu um cruzamento de Eboué com liberdade e tentou um lindo sem pulo, mas o chute saiu descalibrado, por sobre o gol.

A grande chance de fazer o terceiro gol viria mesmo aos 37min. Gervinho, livre na grande área e, sozinho, utilizou o bico da chuteira para chutar, com a bola passando muito perto da trave direita.

Na volta ao intervalo, os marfinenses poderiam ter ampliado o marcador já aos 4min. Kolo Touré se viu livre próximo à pequena área após cruzamento da esquerda, mas finalizou com a coxa, facilitando a defesa do goleiro.

Sempre pelos flancos, a Costa do Marfim ameaçou de novo dois minutos depois. Em um belíssimo lance, o lateral direito Eboué chegou à linha de fundo, passou pela marcação e chutou para o centro da área; a zaga conseguiu desviar. No contra-ataque, o isolado atacante Tae Se enfim participou da partida, chutando da entrada da área para uma defesa segura de Barry.

Aos 10min, Drogba também teve sua oportunidade. Após escanteio, a bola sobrou para o atacante, que perto da marca do pênalti cabeceou, mas foi atrapalhado pelo zagueiro e não conseguiu direcionar a bola para a baliza. Seis minutos depois, um levantamento longo encontrou a cabeça do jogador do Chelsea, que se antecipou ao goleiro, mas só conseguiu tocar de leve na bola.

Apesar dessas chances, o time africano não conseguia mais envolver a defesa asiática como no primeiro tempo. Por causa disso, Eriksson trocou dois de seus atacantes: Gervinho por Dindane e Keita por Kalou.

Em sua primeira participação na partida, Kalou quase marcou. O companheiro de Drogba no Chelsea recebeu foi acionado aos 26min por Yaya Touré, mas, na entrada da área, seu chute saiu fraco, facilmente controlado por Myong Guk.

Destaque no primeiro tempo, Boka voltou a aparecer um minuto depois. Ele avançou bem pela ponta esquerda e tocou para Kalou. Frente a frente com o goleiro, o atacante isolou a bola por cima das traves.

Saindo mais ao ataque, o técnico Kim Jong Hun colocou em campo Kum Chol na vaga de Mun In Guk. O substituto encontrou liberdade aos 33min, mas finalizou sem muita força da entrada da área.

Melhor norte-coreano em campo, Hong Jo realizou um lançamento primoroso aos 35min para Tae Se. O atacante, conhecido como "Rooney asiático", finalizou duas vezes, mas foi frustrado primeiro pelo goleiro e depois pela zaga.

Um minuto depois, a maior agressividade da equipe a fez levar mais um gol, sendo que Boka de novo justificou sua vaga de titular. Mesmo da intermediária, o lateral esquerdo encontrou um cruzamento na medida para Kalou, que com um toque de primeira só desviou do alcance do goleiro, que saia desesperadamente para fazer o corte.