Preciso nas cobranças de falta, Japão elimina Dinamarca e vai às 8ª

Portal Terra

DA REDAÇÃO - Criticados antes da Copa do Mundo pelo fraco desempenho nos amistosos, a seleção do Japão confirmou ser uma das surpresas na África do Sul e conquistou a segunda vaga do Grupo E ao ganhar da Dinamarca por 3 a 1, nesta quinta-feira, no Estádio Royal Bafokeng, em Rustemburgo.

Em cobranças de falta, Honda e Endo abriram vantagem para os japoneses no primeiro tempo. Tomasson descontou para os dinamarqueses na etapa final e Okazaki fechou o marcador aos 43min. O Japão terminou a chave na segunda colocação com 6 pontos, enquanto os escandinavos finalizaram a participação no Mundial na terceira colocação.

Na próxima fase, o Japão enfrentará o Paraguai nas oitavas de final. O jogo será na próxima terça-feira, às 11h (de Brasília), no Estádio Loftus Versfeld, em Pretória. É a segunda vez que a seleção comandada por Takeshi Okada passa da fase de grupos. A primeira aconteceu em 2002, quando o país sediou a competição ao lado da Coreia do Sul.

O jogo

O empate no jogo em Rustemburgo favorecia o Japão, que manteve o esquema com apenas um jogador avançado, com Honda isolado. Já a Dinamarca partiu para cima e aproveitou as subidas do lateral esquerdo Simon Poulsen, que participou das duas primeiras chances de gol nos dez minutos iniciais. Primeiro, tabelou com Tomasson e chutou por cima do gol. Na sequência, cruzou para o atacante, que não conseguiu alcançar a bola para escorar para o gol.

Aproveitando a desatenção da zaga dinamarquesa, o Japão chegou pela primeira vez aos 11min. Okubo lançou na área e Matsui apareceu livre para desviar, mas Sorensen saiu bem do gol e fez grande defesa. Na sequencia do lance, o capitão Hasebe saiu na cara do gol, só que chutou por cima.

Aproveitando mais uma vez o lado esquerdo, a Dinamarca respondeu em seguida. Aos 13min, Simon Poulsen lançou para Tomasson, que invadiu a área e chutou colocado. A bola passou rente à trave do gol defendido por Kawashima.

O jogo continou eletrizante e o Japão abriu o marcador aos 15min. Em cobrança de falta, Keisuke Honda cobrou com perfeição. A bola fez a curva ao contrário e saiu do alcance do Sorensen, aumentando a vantagem japonesa em Rustemburgo.

Passado o susto do gol, a Dinamarca voltou a atacar o Japão, apostando em bolas lançadas para Tomasson. Aos 22min, o volante Christian Poulsen levantou a bola na área na direção do atacante, que não conseguiu, mais um vez, tirar do goleiro Kawashima, que espalmou para escanteio.

A pragmática equipe do Japão ampliou a vantagem aos 30min, novamente em cobrança de falta. Em infração frontal à área, o meia Endo bateu colocado e marcou o segundo gol do Japão na partida, praticamente definindo a vaga às oitavas de final, já que a Dinamarca precisaria, no momento, fazer três gols.

Insatisfeito com o desempenho da equipe, que precisava vencer e perdia por dois gols de diferença, o técnico Morten Olsen alterou a equipe ainda no primeiro tempo. Aos 33min, o veterano Jorgensen saiu para a entrada de Jakob Poulsen.

Com dois gols de vantagem no marcador, o Japão passou a ficar à vontade em campo. A Dinamarca tentava chegar ao gol, porém, sem conseguir pressionar. Quem chegou mais uma vez foi os asiáticos. Em um lançamento de Matsui pelo lado direito, Okubo tentou finalizar de voleio, mas a bola saiu mascada.

O Japão passou a jogar nas costas de Simon Poulsen. Aos 43min, o lateral Komano foi ao ataque e, na entrada da área, chutou cruzado para o gol. Seguro, o goleiro Sorensen apenas espalmou para escanteio.

A Dinamarca voltou ao segundo tempo precisando marcar três gols, mas quem assustou foi o Japão, aos 5min. Em nova cobrança de falta, Endo colocou na área de muito longe. O goleiro Sorensen tentou segurar, mas acabou soltando a bola, que bateu no travessão. Quase mais um goleiro toma um frango na Copa do Mundo.

A Dinamarca continuou insistindo em bolas lançadas na área. No minuto seguinte, Jacobsen lançou na área pelo lado direito, Bendtner, sumido da partida, desviou de cabeça e Tomasson chutou para defesa do goleiro Kawashima, que espalmou para escanteio.

Aos 13min, o técnico Morten Olsen colocou a Dinamarca para cima do Japão para tentar a reação. Trocou o zagueiro Kroldrup, que já tinha cartão amarelo, pelo atacante Larsen. A substituição surtiu efeito e na continuação do lance, Jakob Poulsen soltou uma bomba de fora da área e Kawashima espalmou para escanteio.

Com o Japão bem fechado na defesa, a Dinamarca não teve criatividade para furar a retranca e abusou de lançamentos. Jogador mais jovem a atuar na Copa do Mundo, o volante Eriksen, que entrou na vaga de Kahlenberg, conseguiu aproveitar um rebote da zaga asiática e chutou, aos 22min. A bola pegou curva a passou com perigo, próximo ao ângulo.

Na primeira jogada trabalhada da Dinamarca no segundo tempo, Tomasson perdeu de forma bisonha a oportunidade de diminuir o marcador. Aos 25min, Jakob Poulsen tabelou na ponta direita e rolou para o atacante chutar, que furou a finalização.

Nos minutos finais, a Dinamarca esboçou uma reação em Rustemburgo. Aos 33min, o atacante Larsen dominou um chutão para frente e soltou uma bomba que explodiu na trave. No minuto seguinte, Hasebe dividiu com Bendtner e o árbitro sul-africano marcou pênalti.

John Dal Tomasson foi para a cobrança, bateu e o goleiro Kawashima defendeu, mas o próprio atacante aproveitou o rebote para marcar o primeiro gol da Dinamarca na partida. Foi o 52º tento do jogador com a camisa da seleção, tornando-se o maior artilheiro da história da equipe dinamarquesa.

Em uma grande jogada de Honda, o Japão acabou com qualquer chance da Dinamarca e marcou o terceiro gol. Aos 43min, o jogador driblou Rommedahl e rolou para Okazaki apenas completar para o fundo dos gols.

FICHA TÉCNICA

Dinamarca 1 x 3 Japão

Gols

Dinamarca: Tomasson, aos 35min do 2º tempo

Japão: Honda, aos 15min do 1º tempo, Endo e aos 30min do 1º tempo e Okazaki, aos 43min do 2º tempo

Ponto Forte da Dinamarca

Subidas do lateral Simon Poulsen pelo lado esquerdo

Ponto Forte do Japão

Jogo coletivo da equipe dirigida por Takeshi Okada

Ponto Fraco da Dinamarca

Insistência em alçar bolas para o veterano Tomasson na área

Ponto Fraco do Japão

Facilidade da Dinamarca em penetrar com jogadas em velocidade

Personagem do jogo

Honda. O belo gol de falta aos 15min do 1º tempo acabou com o ímpeto ofensivo do adversário

Esquema Tático da Dinamarca

4-2-3-1

Sorensen; Jacobsen, Kroldrup (Larsen), Agger, Simon Poulsen; Christian Poulsen, Kahlenberg (Eriksen), Jorgensen (Jakob Poulsen), Tomasson, Rommedahl; Bendtner.

Técnico: Morten Olsen

Esquema Tático do Japão

4-1-4-1

Kawashima; Komano, Nakazawa, Marco Tulio Tanaka, Nagatomo; Abe; Hasebe, Matsui (Okazaki), Endo, Okubo (Konno); Honda.

Técnico: Takeshi Okada

Cartões amarelos

Dinamarca: Kroldrup, Christian Poulsen e Bendtner

Japão: Endo e Nagatomo

Árbitro

Jerome Damon (África do Sul)

Local

Estádio Royal Bafokeng, Rustemburgo