No adeus de Camarões, Holanda joga para confirmar liderança

Portal Terra

JOHANNESBURGO - Com duas vitórias nas duas primeiras partidas, a Holanda precisa apenas de um empate para confirmar a liderança do Grupo E da Copa do Mundo. O adversário na última rodada é Camarões, seleção que só perdeu até agora e foi a primeira a ficar sem chances de classificação no Mundial. O duelo, com favoritismo imenso para os europeus, acontece nesta quinta-feira, às 15h30 (de Brasília), no Estádio Green Point, na Cidade do Cabo.

Os holandeses podem aproveitar o jogo para dar ritmo ao meia-atacante Arjen Robben, que se recupera de uma lesão na coxa esquerda e ainda não estreou em gramados sul-africanos. O atleta participou normalmente do treino de apronto para a partida, mas ainda não teve a escalação confirmada.

"Precisamos ver como ele reage e só momentos antes do jogo vamos confirmar se ele será aproveitado", afirmou o técnico Bert Van Marwijk, que ainda pode poupar três jogadores que estão pendurados com cartões amarelos.

Apesar de o confronto diante dos africanos não ter caráter tão decisivo, o comandante holandês pede seriedade. "É um jogo importante, pois precisamos de confiança. Não se pode baixar a guarda em um torneio como a Copa do Mundo", afirmou.

Camarões, por sua vez, jogará pela dignidade. Muito criticada após as derrotas para Japão e Dinamarca, a equipe liderada por Samuel Eto'o terá que se superar, pois, ser perder, consolidará a pior campanha do país em Mundiais.

"Há coisas importantes em jogo. Temos que sair com prestígio. É difícil manter a motivação, mas vamos entrar em campo com honra e defender as cores de Camarões até o último minuto", prometeu o técnico Paul Le Guen, que deve deixar o cargo após a partida.

Pressionados pela população do país, os jogadores sofrem com comparações com o time que encantou o mundo na Copa de 1990. Liderados por Roger Milla, um dos maiores críticos da atual geração, Camarões chegou às quartas de final do Mundial disputado na Itália há 20 anos.

"Não temos que olhar para trás, só devemos pensar no quem vem pela frente", esquiva-se o lateral Assou-Ekotto, um dos titulares do time que dá adeus à África do Sul nesta quinta-feira.

Se o confronto entre Holanda e Camarões é praticamente um amistoso, a outra partida da chave vale muito. Em Rustemburgo, também às 15h30 (de Brasília), Dinamarca e Japão se enfrentam para definir a segunda vaga do Grupo E da Copa do Mundo.

As duas seleções somaram três pontos nas duas primeiras rodadas da competição. Mas por ter melhor saldo de gols, zero contra menos um, os asiáticos jogam por um empate nesta quinta-feira. Os dois classificados do Grupo E cruzarão com quem passar do Grupo F.

Japão e Dinamarca procuram repetir a campanha de 2002, que o próprio país asiático sediou em conjunto com a Coreia do Sul. Ambas as seleções passaram à segunda fase da Copa do Mundo. E as duas saíram nas oitavas de final.

Em 2002, foi a melhor participação do Japão na história dos Mundiais, quando alcançou às oitavas de final e perdeu para a Turquia. Já a melhor participação da seleção escandinava aconteceu quatro anos antes, em 1998, na França. Na ocasião, os europeus perderam do Brasil por 3 a 1 nas quartas de final.