Teixeira evitará tratar de plano B ao Morumbi até final da Copa

Portal Terra

JOHANNESBURGO - Após descartar definitivamente nesta quarta-feira o Morumbi como estádio da cidade de São Paulo para a Copa do Mundo de 2014, o Comitê Organizador presidido por Ricardo Teixeira evitará tratar do plano B até o final do Mundial da África do Sul.

Em nota oficial divulgada no site da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o Comitê Organizador disse que, ao lado da Fifa, está "à disposição da cidade de São Paulo para futuras discussões".

Após o anúncio, Teixeira recebeu profissionais de três jornais e uma emissora de televisão ¿ todos do Brasil - para uma conversa privada no hotel Michelangelo, em Sandton, área mais nobre da cidade sul-africana de Johannesburgo.

Entre outros assuntos, declarou que só quer pensar na alternativa ao estádio do Morumbi a partir de 12 de julho, dia seguinte à final da Copa do Mundo. E que espera que o Brasil esteja em campo na partida decisiva do estádio Soccer City.

Sobre a possibilidade de construção de uma arena em Pirituba para a cidade de São Paulo receber os jogos em 2014, o cartola disse desconhecer o assunto e que só ouviu através da própria imprensa.

No comunicado oficial, o Comitê Organizador divulgou que não foram entregues por parte do Comitê da Cidade de São Paulo as garantias financeiras referentes ao projeto do Morumbi aprovado no dia 14 de maio de 2010.

O presidente do Comitê de São Paulo, Caio Luiz de Carvalho, afirmou em entrevista à Rádio Joven Pan que não ficou surpreso com a exclusão pois já havia ouvido, na noite da última quarta-feira, rumores sobre o assunto.

Procurado pelo Terra, o superintendente de futebol do São Paulo, Marco Aurélio Cunha, afirmou que o clube não tem conhecimento do assunto e mostrou surpresa ao ser informado sobre o comunicado.

Orlando Silva, ministro do Esporte, se mostrou chateado com a notícia. "É o fim de uma novela. Uma novela que se arrastou por muito tempo e, na minha opinião, teve final infeliz. São Paulo é a maior cidade do Brasil", disse, em entrevista na Casa Brasil montada em Johannesburgo.