Sindicato sul-africano anuncia protestos em jogos do México

Portal Terra

JOHANNESBURGO - Além das ameaças de greves e manifestações dos sul-africanos durante a Copa do Mundo, o governo do país pode ganhar mais um problema envolvendo os seus operários. Um dos maiores sindicatos do país anunciou que irá promover piquetes em todos os jogos do México no Mundial.

De acordo com o jornal Times Live, a Cosatu, associação que reúne sindicatos de toda a África do Sul, justificou a ação como um protesto contra o "governo fascista" mexicano. Uma manifestação já foi marcada para esta quinta-feira, em frente ao Estádio Peter Mokaba, na cidade de Polokwane, onde os latinos enfrentam a seleção francesa.

Também haverá demonstração na partida contra o Uruguai, último compromisso do México na primeira fase, em Rustemburgo, na próxima terça-feira. Oupa Komane, representante de um dos sindicatos filiados à Cosatu, disse que membros da organização farão piquetes e estarão com cartazes, mobilizando o maior número possível de pessoas, para protestar e engajar as autoridades nos jogos, além de tentar atrair apoio mexicano para a causa.

Komane acrescentou que não quer causar distúrbios na Copa, e que por isso as manifestações serão feitas do lado de fora dos estádios. A porta-voz da União Nacional dos Mineiros, Lesiba Seshoka, afirmou que os protestos são para mostrar solidariedade aos trabalhadores e sindicatos do México contra o contínuo ataque e terror promovido pelo regime "fascista e contra-revolucionário" mexicano.

Os protestos irão culminar no "dia de ação nacional", no dia 28 de junho, quando pretendem marchar para a embaixada do país da América do Norte em Pretória. Suas reivindicações incluem a retirada das acusações contra o secretário-geral exilado da União de Mineiros Mexicana, Napoleon Gomez Urritia, e a liberação de líderes sindicais presos.