Neo-zelandeses celebram brinde graças a "herói dinamarquês"

Portal Terra

NOVA ZELNDIA - Graças a um jogador que há poucos meses defendia a Dinamarca, a Nova Zelândia comemorou seu primeiro ponto na história das Copas do Mundo. O jornal neo-zelandês The Press celebrou o "brinde" proporcionado pelo zagueiro Winston Reid, um reforço de última hora que empatou a partida com a Eslováquia por 1 a 1 nos acréscimos do segundo tempo nesta terça-feira.

Reid, 21 anos, poderia defender a Dinamarca no Mundial da África do Sul. Embora nascido em Auckland, capital neo-zelandesa, ele se mudou para o país europeu aos dez anos e está atualmente no Midtjylland. Depois de atuar pelas seleções Sub-19 e Sub-21 do time alvirrubro, ele anunciou em março que profissionalmente jogaria com a Nova Zelândia e fez sua estreia com a camisa branca apenas em maio.

Um mês depois, o zagueiro virou herói nacional aos 48min do segundo tempo do encontro com a Eslováquia, quando partiu para o ataque e, aproveitando seu 1,90 m, marcou de cabeça para dar o empate à nação em que nasceu.

Conforme lembra o diário, até aquele momento a partida parecia "morta e enterrada, com a Eslováquia no controle" das ações. Entretanto, Reid "escreveu seu nome nos livros da história esportiva da Nova Zelândia com o gol de sua vida", na visão da publicação.

Até 2010, os representantes da Oceania haviam participado de apenas um Mundial: em 1982, quando perderam por 5 a 2 para a Escócia, por 4 a 0 para o Brasil e por 3 a 0 para a União Soviética.

Agora, a Nova Zelândia finalmente obteve um ponto, em feito considerado "incrível" por outro jornal do país, o NZ Herald, que celebrou a "igualdade dramática" confirmada a partir do gol de Reid. Os outros adversários da seleção na África do Sul são Itália, em 20 de junho, e Paraguai, no dia 24.