Fora de controle, greves viram maior preocupação da Fifa

Portal Terra

DA REDAÇÃO - Com apenas cinco dias de realização da Copa do Mundo, as greves passaram a ser a maior dor de cabeça da Fifa na África do Sul. Nesta terça-feira, a entidade se reuniu com o Comitê Organizador Local e detectou que a situação está fora de controle.

Nesta terça-feira, pouco antes da estreia do Brasil, os funcionários dos serviços de segurança da Copa protestaram nos arredores do Estádio Ellis Park. A terceira manifestação do tipo desde o início do evento preocupa a entidade, pois surgiu também uma ameaça por parte de profissionais da SABC, emissora oficial de TV que faz a transmissão dos jogos.

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke participou de reunião com os organizadores locais para definir medidas de contenção. Já nesta terça, a polícia sul-africana assumiu a segurança de quatro dos dez estádios da Copa do Mundo para substituir os guardas em greve.

Em Durban, durante a realização do jogo entre Alemanha e Austrália, a polícia teve que entrar em ação para conter protestos dos grevistas.

Já na Cidade do Cabo, onde foi realizado o duelo entre Itália e Paraguai, oficiais contratados para organizar a torcida abandonaram seus postos de trabalho momentos antes do apito inicial. Voluntários foram treinados com urgência para ocupar as funções.

Nesta terça-feira, antes da estreia do Brasil contra Coreia do Norte, trabalhadores reivindicavam salários maiores e causavam constrangimento aos organizadores. Centenas de pessoas se revoltaram contra a empresa de segurança privada, conveniada pela Fifa, que não teria repassado valor suficiente aos trabalhadores.