Expectativa era de faturamento maior em bares e restaurantes

Marta Nogueira, Jornal do Brasil

RIO - Torcedores lotaram os bares e restaurantes do Rio de Janeiro para assistir ao primeiro jogo da Seleção Brasileira na Copa do Mundo da África do Sul. Mas, decepcionados com o desempenho dos jogadores, os clientes deixaram os estabelecimentos logo após a partida. Por isso, gerentes estimam que o faturamento 15% maior que no último Mundial poderia ter sido ainda maior, apesar dos 100% de ocupação.

A previsão do Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes do Rio de Janeiro (SindRio) é de crescimento de 20% do faturamento diário normal nos jogos do Brasil. Para conquistar a clientela, os bares e restaurantes investiram alto em telões, cardápio personalizado e outras estratégias , analisa o presidente do SindRio, Alexandre Sampaio.

Com consumo de cerca de 500 litros de chope, o faturamento do Porcão Rio's foi 10% maior que na Copa passada e o público aumentou em 15%, segundo o gerente operacional, Almir Bernardino. A casa teve 90% das mesas reservadas para esta partida, e cerca de 50% dos clientes de terça-feira já renovaram a reserva para o próximo jogo do Brasil, no domingo.

O público de negócios, que costuma frequentar o Porcão Rio's durante a semana, trocou o terno por roupas esportivas, nas cores verde e amarelo, e foi torcer pelo país, declarou Bernardino. Foi uma festa muito bonita, mas os clientes saíram com sede de quero mais , completou. O gerente do Porcão Barra, Claudir Massage, diz que o resultado ruim poderia ter afetado a expectativa para o próximo jogo. Mas das 190 mesas reservadas para terça-feira, mais de 50% dos lugares já estão ocupados.

O Devassa de Ipanema apostou na venda de pacotes. De acordo com o gerente, Edimar Pinto, por R$ 60, mais a taxa de serviço de 12%, os clientes tiveram cerveja, água, refrigerante e petiscos liberados.

Se o jogo fosse melhor o movimento seria maior depois do jogo disse Pinto. Trabalhamos com 80 mesas e foram consumidos cerca de 400 litros de chope.

Gerente do Jobi, no Leblon, Manuel Rocha notou alta de 20% do faturamento. O público não gostou do jogo e foi embora logo.