Carismático, Tevez cativa e chama Maradona de fenômeno

Fábio de Mello Castanho, Portal Terra

PRETÓRIA - Piadas, brincadeiras e risadas. A primeira entrevista coletiva de Carlos Tevez na África do Sul foi mais descontraída até mesmo do que as do técnico Maradona, sempre performático à frente do microfone.

Bem-humorado pela vitória argentina na estreia da Copa do Mundo no último sábado, Tevez já iniciou se dizendo um personagem carismático. Expressão utilizada para explicar a relação que tem com a torcida argentina.

"Me consideram um deles. Eu quase nunca sou criticado, jogando bem ou jogando mal. Isso acontece pelo meu carisma. Me sinto privilegiado por isso. Essas palavras me deixam muito felizes", disse Tevez, referindo-se a Maradona ¿ que disse não ter como deixar o atacante na reserva pelo que ele representa para a torcida.

Titular na estreia contra a Nigéria, Tevez arrancou as primeiras risadas ao se referir às vuvuzelas. "Fiquei um pouco mais cansado porque tive que gritar mais por causa daquelas trombetas", disse.

O atacante voltou a mostrar bom humor ao se recusar a falar inglês. Apesar de jogar na Inglaterra, Tevez não se sente à vontade falando o idioma e se desculpou com bom humor.

"É melhor não", disse o atacante antes de responder em espanhol como definiria o técnico Maradona. "Um fenômeno", afirmou, para mais gargalhadas na sala de imprensa.

Mais humor para responder a boatos de que deixaria o Manchester City para jogar na Inter de Milão. "No momento só estou pensando na seleção. Não posso responder a isso. Só sei que tenho 26 anos e sou muito jovem", disse, arrancando mais risadas pela careta do que pelas palavras.