África do Sul pede prudência aos visitantes estrangeiros

Agência AFP

JOHANNESBURGO - O governo sul-africano pediu nesta quinta-feira aos estrangeiros que visitam o país para ver o Mundial de futebol para que sejam prudentes, depois da ocorrência de assaltos à mão armadas contra jornalistas internacionais que cobrem o evento.

"Pedimos aos cidadãos e aos visitantes que prestem atenção em sua segurança pessoal", declarou o porta-voz de segurança do Executivo da África do Sul, Themba Maseko, através de um comunicado.

''Trabalhando juntos, podemos manter a segurança da competição para todos'', acrescentou.

Cerca de 40.000 policiais foram destinados à proteção do Mundial e outros 150.000 agentes estão disponíveis para as operações policiais de rotina, acrescentou.

Cerca de 300.000 visitantes estrangeiros são esperados na África do Sul, país que registra uma média de 50 homicídios por dia.

A polícia sul-africana indicou nesta quinta-feira que prendeu os três suspeitos de terem assaltado um grupo de jornalistas portugueses e espanhóis que cobria a Copa do Mundo.

Os ladrões invadiram o hotel Magaliesburg, noroeste de Johannesburgo, na madrugada de quarta-feira, quando os jornalistas estavam dormindo, e roubaram passaporte, equipamentos, dinheiro e roupa.

A polícia informou ainda que recuperou alguns dos itens roubados dos jornalistas, um espanhol e dois portugueses.

Além disso, quatro jornalistas chineses foram vítimas de um assalto à mão armada na terça-feira em Johannesburgo, realizado por homens que atacaram seu carro, roubando deles dinheiro e uma câmera fotográfica, informaram nesta quinta-feira os meios de comunicação locais.

Os jornalistas, que trabalham para o jornal Anhui (leste da China), não sofreram ferimentos.