Torcida sul-africana aproveita treino aberto e se aproxima dos Bafana

Natália da Luz, especial, JB Online

JOHANESBURGO - As arquibancadas do estádio Sturrock Park, um campo que fica na Universidade de Wits (em Joanesburgo), não estavam lotadas, mas a presença da torcida sul-africana foi essencial! Ela compareceu animada com a sucessão de vitórias dos Bafana Bafana (seleção da África do Sul) que, com a última partida contra a Dinamarca (1 x 0), completou 12 jogos invicta. Os sul-africanos aproveitaram o primeiro treino aberto na tarde desta segunda para ver de perto ídolos como Pienaar, Tshabalala e Teko Modise.

Zack Likhaitzkg, 19 anos, vive no Canadá há quatro anos, mas não esquece a África do Sul, sua terra natal. Todos os anos ele visita o país durante algumas semanas para rever os amigos. Em 2010, as férias foram prolongadas... Ele desembarcou há alguns dias para assistir ao vivo a sete jogos da Copa do Mundo. Os ingressos comprados foram para as partidas da África do Sul na primeira fase, além dos jogos da Inglaterra (já que ele é fã do futebol inglês e vidrado na Liga dos Campeões) e outros três da segunda fase.

No quesito esportivo, a cor da pele branca na África do Sul faz uma associação ao rúgbi, esporte preferido dos afrikanners (sul-africanos descendentes de alemães, franceses e holandeses) e que foi um dos símbolos do apartheid. Zack pratica rúgbi desde pequeno nas escolas sul-africanas e agora, no Canadá, continua jogando. Mas o futebol também não fica atrás. Eu adoro o futebol e claro, o brasileiro, que é bem particular! Ninguém no mundo joga como os brasileiros! , disse ao Jornal do Brasil. Apesar de reconhecer a nossa especialidade, ele diz que, caso nos encontre na segunda fase, vai torcer pelo Bafana Bafana! O time está muito preparado e dando orgulho a muita gente. Comparando com uns três anos atrás, a nossa evolução foi enorme!

Orgulho que é ratificado por Tebogo Mashele, sul-africano que aproveitou o treino para vender vuvuzelas, bandeiras de seleções africanas e outros adereços que vão incrementar as arquibancadas durante os jogos da Copa! Quando Carlos Alberto Parreira se aproximou da arquibancada, ele foi até o brasileiro agradecer pelo trabalho com a seleção do seu país.

Voltou sorridente e distribuindo elogios ao técnico que vai comandar a seleção que ele espera vencer a Copa! O 'coach' é um grande homem. Ele trouxe mais expectativa para os Bafana. Vamos chegar à final! , disse confiante. Outro incentivo além do know how brasileiro é a grana que cada jogador vai levar... Aproximadamente um milhão de reais (em dinheiro e carro de luxo). Antes disso, para cada gol, 235 mil serão divididos e cairão na conta dos bafanas , caso o resultado da partida não seja uma derrota. Assim eu jogaria muito mais. Seria um artilheiro! , brincou Tebolo.