Vacarezza critica suspensão de propaganda de Dilma

SÃfO PAULO, 10 de maio de 2010 - O líder do governo na Câmara dos Deputados, Cândido Vaccarezza (PT-SP), disse hoje que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi exagerado ao mandar retirar do ar o comercial do partido no qual a pré-candidata Dilma Rousseff se colocava como a continuidade do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Vaccarezza disse que não há, no comercial, elementos que configurem campanha, tais como pedido de voto, números ou exemplificações de ação com o objetivo de disputar o eleitorado. "Acho que houve exagero do TSE. O programa está muito diferente do que será feito durante a campanha", disse o líder, que reconheceu o erro do próprio Congresso Nacional em não definir as regras que valem para a pré-campanha.

"O erro é nosso que não legislamos sobre esse período que vai da fase em que o candidato se desincompatibiliza ao início da campanha. Concordo com campanhas curtas, mas essas regras têm que ser bem definidas pelo Legislativo".

O líder questionou os conteúdos permitidos para programas do partido. "O que eu poderia falar num programa do PT? Não se pode falar bem do governo. Não pode falar bem do PT. E não se pode falar bem da pré-candidata do PT. Só um programa anódino agradaria ao TSE". As informações são da Agência Brasil.

(Redação - Agência IN)