Faturamento dos supermercados chega a 5,6% do PIB do Brasil

SÃfO PAULO, 10 de maio de 2010 - O setor supermercadista do Brasil registrou, em 2009, faturamento de R$ 177 bilhões, representando um incremento nominal de 11,7%; e real de 6,5%, em relação ao ano anterior. A representatividade do segmento corresponde hoje a 5,6% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Esses são alguns dos muitos pontos relevantes identificados na pesquisa inédita "Retratos do Varejo" - realizada em conjunto entre a Associação Paulista de Supermercados (APAS) e as empresas de pesquisa Nielsen, Kantar WorldPanel e GfK.

No Estado de São Paulo, o faturamento foi de R$ 54,7 bilhões, um crescimento nominal de 10,8% e real de 5,7% em comparação a 2008. O número de lojas também cresceu 3,3%, somando 15.306 em 2009. O Estado representa 19,5% dos estabelecimentos e 31% do faturamento no País, correspondendo a 1,7% do PIB nacional. As pesquisas detectaram mudança de perfil do consumidor. "O grande desafio do supermercadista será entender este contexto e se adaptar rapidamente às novas demandas", explica João Sanzovo Neto, presidente da APAS. "Ao divulgar anualmente estes estudos, a APAS cumpre seu papel de disseminar conhecimento e auxiliar o supermercadista a entender melhor o seu negócio".

De acordo com Martinho Paiva Moreira, vice-presidente de Comunicação, a APAS traz para o debate os rumos do varejo que cada vez mais deverá contemplar as diferenças, tanto no mix de produtos, quanto na construção, na contratação de pessoas, no atendimento ao consumidor. "No novo cenário, é necessário pensar toda a cadeia, desde a produção até o consumo, analisando os impactos no meio ambiente, nas pessoas, nas comunidades e na cultura", acrescenta.

Para o presidente Sanzovo, o setor de supermercados deverá crescer cerca de 10% em 2010, retornando ao bom nível de 2008. Isto se deve à ascensão das classes DE para a classe C, formando a nova classe média brasileira, que passou a consumir produtos de maior valor agregado. "A continuidade de políticas que proporcionem o aumento da renda será fator decisivo para um bom resultado do setor em 2010", ressalta Sanzovo.

(Redação - Agência IN)