Executivos ganham novos desafios ao delegar tarefas

Jornal do Brasil

DA REDAÇÃO - Delegar poderes no mundo corporativo deveria ser uma tarefa comum para executivos, já que muitos líderes têm outras missões que exigem sua participação direta nas decisões. Só que, na prática, estes mesmos chefes são os que colocam entraves na hora de indicar a pessoa que irá executar a tarefa.

Só que muitos destes líderes têm uma lista de razões para bloquear o processo. Entretanto, esses motivos podem ser contestados facilmente, garante Fernando Montero da Costa, diretor de Operações da Human Brasil, empresa especializada na seleção e recrutamento.

Alguns dizem que costumam demorar menos quando eles próprios fazem, mas precisam ter consciência, por exemplo, que a médio prazo ampliarão a sobrecarga de trabalho explica o consultor.

As principais alegações para a não divisão de poder tem inúmeras versões, como meus subordinados diretos não estão suficientemente preparados e, delegando, poderei mostrar aos demais que não sou tão imprescindível como pensavam , revela.

O profissional que ocupa cargo de chefia precisa entender que, mais cedo ou mais tarde, terá que preparar seus subordinados. E, em vez de pensar que poderá ser mandado embora se deixar de realizar tal função, deve acreditar que, com a delegação, terá tempo para assumir novas responsabilidades e até ter mais chances de ser promovido orienta.

Para Fernando Montero da Costa, ao se delegar poderes o executivo está agindo de maneira prática. Facilita o trabalho e proporciona mais tempo, minimiza a tensão; proporciona um conhecimento precioso sobre as competências dos liderados, além de gerar maior comprometimento do grupo com suas tarefas , comenta.

Entretanto, não basta apenas delegar. É preciso saber fazê-lo para que se obtenha o máximo de eficácia neste processo. E a única maneira é exercitando essa prática no dia a dia , afirma, lembrando que o feedback é importante durante o processo, pois ele poderá avaliar os resultados e desempenho.

Decida primeiro quais atividades a delegar;

Eleja a(s) pessoa(s) adequada(s) para delegar;

Estabeleça objetivos;

Defina os limites de autoridade (empowerment) e responsabilidade;

- Estabeleça mecanismos de controle e evolução;

- Deixe atuar.