Ataque é a dor de cabeça de Cuca no domingo, contra o Avaí

Hilton Mattos, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Neste domingo, contra o Avaí, no Maracanã, o Fluminense adotará uma postura ofensiva. Lanterna do Campeonato Brasileiro, com 18 pontos, o time quer aproveitar a sequência de três jogos no Rio (Flamengo e Corinthians depois) para tentar melhorar sua situação na tabela. No entanto, para o primeiro compromisso, Cuca já tem um problema. Kieza, suspenso com o terceiro cartão amarelo, é a dor de cabeça do treinador.

Nesta sexta-feira, no CFZ, Cuca começou a definir a equipe. Mas ainda tem dúvida na frente. A dúvida só deve ser desfeita neste sábado pela manhã. O treinador fará um treino leve, mas vai aproveitar para fazer alguns testes no ataque. A tendência é que ele escale Roni ou Alan ao lado de Adeílson. O artilheiro do time na temporada ainda é Fred, com nove gols. Mas Kieza tem sido importante já balançou a rede cinco vezes em 17 jogos.

Fábio Santos

O gestor do futebol tricolor, Mário Bittencourt, em entrevista à Rádio Brasil, falou sobre a rescisão de contrato do meia Fábio Santos. Ainda reticente, o dirigente deu a entender que o clube não estava satisfeito com o rendimento do jogador, que desde maio fez apenas duas partidas.

Não tem muito o que falar. Ele estava insatisfeito. A situação estava abalada. Nós propomos um acordo, mas ele não aceitou. Sempre mantive contato com o procurador dele, o Marcelo Dijean, que é uma excelente pessoa. Ele me passou que o jogador estava insatisfeito disse Mário Bittencourt.

O dirigente falou ainda do retorno do futebol profissional do Fluminense para as Laranjeiras. O clube tem contrato com o CFZ até dezembro, mas a ideia é realizar alguns treinos no clube tão logo a reforma no vestiário fique pronta. Os tricolores entendem que o CFZ não oferece estrutura adequada para um centro de treinamento.

Branco critica CBF

O coordenador de futebol do Fluminense, Branco, reprovou o critério utilizado pelos preparadores físicos da Seleção Brasileira Sub-20 que treinou na Granja Comary de olho no Mundial da categoria, no Egito. Branco, que já exerceu a função de coordenador das divisões de base da entidade, não gostou de saber que os jogadores foram divididos por zona da Libertadores, zona da Sul-Americana e zona do rebaixamento . Como Dalton e Maicon estão no grupo, o Fluminense pediu a desconvocação dos atletas.

É inadmissível que profissionais que trabalham na Seleção Brasileira tenham este tipo de conduta preconceituosa. No mínimo, foi uma brincadeira infeliz. Como conheço bem o doutor Ricardo Teixeira (presidente da CBF), sei que este fato não ficará impune frisou Branco, que coordenou as divisões de base da CBF de 2003 a 2007.