Depois de negar, Corinthians diz ter prioridade por Danilo

Portal Terra

SÃO PAULO - Dias depois de anunciar que o clube "não está negociando a contratação do jogador Danilo", o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez admitiu que, apesar de não ter conversado com o atleta, fez contatos com seu empresário em busca de ter prioridade em uma possível negociação.

- Danilo eu não procurei. Eu tive uma conversa com o empresário dele que não foi nem levado ao Mano Menezes. Falei com Gilmar (Rinaldi, empresário do atleta) e peguei a prioridade. Mas o Mano quer um meia que jogue por dentro e ele tem uma outra característica - disse o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, em entrevista à Rádio Globo .

Na opinião de Sanchez, Danilo, hoje no Kashima Antlers, do Japão, é um jogador de qualidade e que se encaixaria bem no Corinthians. Algo um pouco diferente do que Mano Menezes disse após o jogo contra o Náutico, elogiando o ex-atleta do São Paulo mas admitindo que ele não tem a característica que procura.

- Eu não fico dando palpite. Ele pede jogador para mim e eu tento contratar. Todos os jogadores que forem contratados terão o aval dele. Ele quer hoje um meia por dentro, ponto. Eu nem conversei com o Danilo, mas talvez daqui um tempo, seis meses ou um ano, pode ser que venha a necessidade (de um jogador com as características de Danilo) - disse o presidente.

Além de Danilo, o presidente do Corinthians falou de outras negociações. Pela primeira vez para a imprensa brasileira, ele admitiu que tem interesse nas contratações do meia Riquelme, do Boca Juniors, da Argentina, e Lucas, do Liverpool, da Inglaterra. Este último ele acredita que há chance de vestir a camisa do Corinthians.

- Estamos conversando realmente com Lucas, mas o Liverpool conta com ele. Se não for para agora acredito que do meio para o fim ano ele vem. Ele disse que gostaria de vir. É difícil, não está certo ainda mas estamos conversando - disse o dirigente para em seguida falar de Riquelme.

- Riquelme é um jogador que nos interessa e que estamos conversando. É um sonho difícil, mas que as vezes é realizado. Ronaldo foi o maior sonho de todos mas foi o mais fácil e mais barato porque estava livre. Riquelme não, ele tem vínculo com o Boca - afirmou.

Sobre uma possível volta de Tevez, Sanchez acha difícil porque o Manchester City gastou R$ 82 milhões para tirá-lo do rival Manchester United.

Sanchez disse também que negociou com o atacante Robert, contratado recentemente com o Palmeiras, e Rafael Sobis.

- Conversei com empresário dele duas ou três vezes, como tinha Souza e Henrique, trazendo Robert ficaria mais pesado e não conseguiria pagar o salário de todo mundo. Com Rafael Sóbis desde o ano passado havia uma conversa, mas ele acabou sofrendo uma contusão séria. Mas hoje não está nos planos - afirmou.