Hostilizado, Waldemar Lemos se defende de críticas

Elaine Felchaka , Portal Terra

CURITIBA - A derrota por 3 a 1 para o Avaí em plena Arena da Baixada, no último sábado, acabou com a paciência da torcida do Atlético-PR. Indignados com a atuação, os torcedores não perdoaram o técnico Waldemar Lemos.

As críticas começaram com a entrada de Rafael Moura no lugar de Wallyson no segundo tempo com gritos de "burro" para o treinador.

Com o jogo acabando, a torcida foi ainda mais cruel e pediu a saída de Waldemar, que se defende das vaias e das críticas sofridas

- A torcida tem o direito de opinar, mas seria bom que ela observasse o trabalho que vem sendo feito também - pediu o comandante.

- Quando cheguei aqui, o clube tinha um ponto. E comigo conquistou pontos e vitórias. Nós temos trabalhado e se não tiver agradando vai ser tomada alguma decisão - acrescentou o treinador.

Mas apesar de ressaltar que tenha pontuado e levado o Atlético-PR a vitórias desde que chegou, os números do treinador apontam para uma situação nem tanto favorável ou tranqüila. Em nove jogos, são quatro derrotas e duas vitórias de Waldemar no Atlético-PR.

E outro fator que tem pesado contra o comandante perante a torcida é o jejum de triunfos. O Atlético-PR não vence há quatro rodadas. A última vitória foi no dia 12 de julho, contra o Internacional (3 a 2).