Fitch vê piora na liquidez de empresas latinas

SÃO PAULO, 16 de julho de 2009 - A Fitch Ratings prevê que a taxa de inadimplência dos emissores corporativos da América Latina, com rating de grau especulativo mais baixo, deve aumentar para 9% em 2009, contra 3,2% em 2008. Para a agência, o índice pode chegar a 13%, no caso de uma piora do cenário.

A agência de classificação de risco revisou a cobertura de 42 emissores da América Latina com ratings de Probabilidade de Inadimplência do Emissor (IDR) de "B+" ou abaixo, e verificou que a liquidez e as posições de caixa dessas companhias têm se deteriorado em meio à severa desaceleração da economia global.

Entre os 42 emissores, 19 têm posições de liquidez classificadas como abaixo da média ou insatisfatória. Isso representa um aumento acentuado em relação a 2008, quando somente seis das 31 companhias cobertas com similiar revisão foram consideradas em igual situação. Dessas seis companhias, três entraram em inadimplência durante o segundo semestre de 2008.

Da mesma forma, a Fitch verificou que a tendência do fluxo de caixa de 26 das 42 companhias analisadas neste relatório também está abaixo da média ou insatisfatória. Em 2008, oito de 31 empresas partilharam dessa classificação e quatro delas agora apresentaram inadimplência em suas obrigações financeiras.

"As companhias da América Latina têm, em geral, sofrido com a demanda fraca e redução dos preços no mercado local", afirmou Joe Bormann, diretor senior da Fitch. O executivo destaca que a contração acentuada da demanda da Europa e dos Estados Unidos tem atingido os exportadores latinos fortemente.

(Redação - JBOnline)