Botafogo é goleado pelo Goiás e corre risco de acabar rodada em último

Jornal do Brasil

RIO - O Botafogo caminha a passos largos para o rebaixamento no Brasileiro e Ney Franco conta as horas para se juntar aos recém-desempregados Muricy Ramalho e Vanderlei Luxemburgo. Depois do 4 a 3 para o Vitória na última rodada, neste sábado, no Engenhão, o alvinegro foi goleado pelo Goiás por 4 a 1 e se complicou na competição. Ainda que restem 30 rodadas, a penúltima colocação, com seis pontos, acende o sinal de alerta em General Severiano. O quadro pode piorar neste domingo. Em caso de vitória do Sport sobre o Grêmio, na Ilha do Retiro, o Botafogo será o lanterna. O próximo compromisso é domingo que vem, contra o Atlético-MG, no Mineirão.

Lucio Flavio, o principal nome do time, reconhecia a má fase. Queria fazer as pazes com a vitória e reeditar as boas atuações. Sem a inspiração do seu camisa 10, o Botafogo foi um time apático. Criou pouco e sua defesa era facilmente envolvida. Aos 20 minutos, Renan salvou um chute de Felipe de dentro da área. Era a senha do massacre que vinha pela frente.

Aos 24, Juninho rebateu mal uma falta cobrada do lado esquerdo da área. A bola sobrou limpa para Felipe Menezes, que não perdoou e mandou para o fundo da rede. O Botafogo ainda esboçou uma reação aos 36. Victor Simões, de voleio, fez um golaço.

O empate, no entanto, não deu tranquilidade aos alvinegros. Aos 43, Léo Silva fez pênalti em Iarley. Felipe cobrou e colocou o Goiás na frente outra vez.

Leandro Guerreiro falha

No segundo tempo, Ney Franco promoveu duas alterações. Mas de nada adiantou a tentativa do treinador de dar alma nova ao time. Aos 12, Rafael Tolói aproveitou bobeira de Leandro Guerreiro e ampliou. O mesmo Leandro Guerreiro falhou no quarto gol, ao permitir que a bola chegasse a Iarley. O atacante chutou cruzado da entrada da área. A torcida, indignada, pediu a saída do treinador e vaiou quase todo o time.