Robinho genérico tenta acabar com jejum de vitórias do Vasco

Márcia Vieira, Jornal do Brasil

RIO - Exibindo um enorme medalhão de São Jorge no peito e um largo sorriso no rosto, o atacante Robinho comemorou, no final do treino desta sexta-feira, a sua escalação para o jogo de sábado contra o Figueirense, às 16h10, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis. Se depender da fé e da vontade que demonstrou nos treinos da semana, este fervoroso devoto do santo guerreiro não só vai acabar com o jejum de seis jogos sem vitória, como irá ajudar, em sua estreia, o Vasco a reencontrar o caminho do gol, perdido há quatro rodadas.

São Jorge vai nos ajudar a superar esta fase. Será um jogo difícil, mas ele vai nos proteger disse o atacante de 21 anos, que costuma arriscar pedaladas, jogada que é marca registrada de seu xará do Manchester City. É lógico que não é com a mesma facilidade do nosso primo rico lá. Mas tento dar uma pedaladinha ali e partir para cima do adversário.

O estilo arrojado surgiu ainda no infantil do Volta Redonda, clube que o revelou. Os dribles curtos, a velocidade e o jeito moleque lembravam muito o do ex-santista. Mas as semelhanças, pelo menos por enquanto, acabam por aí. Um abismo financeiro separa a carreira dos dois. Enquanto o jogador do Manchester City recebe R$ 1,3 milhão por mês, o de São Januário ganha um salário de cerca de R$ 12 mil. Ou seja: financeiramente, é preciso 113 Robinhos do Vasco para se chegar ao da Seleção.

Ciente das enormes diferenças, o Robinho pobre rejeita qualquer tipo de comparação e garante que ganhou o apelido da mãe.

Ela me chama assim porque eu era muito franzino quando criança ressaltou Robinho, que se chama Robert.

Comparações à parte, Robinho espera fazer em sua estreia o que seus companheiros não fazem há 438 minutos: gols.

É uma partida difícil e temos de jogar com muita seriedade. Se puder ajudar meus companheiros fazendo gols, vou ficar muito feliz disse o jogador, que ganhou uma vaga no time porque Elton está suspenso e Pimpão, machucado.

Ansioso com a estreia, Robinho espera repetir neste sábado uma rotina antiga em sua carreira. Quando vestiu pela primeira vez a camisa do time principal do Volta Redonda, marcou dois gols e ainda deu o passe para o terceiro na vitória diante ao América, pela Série C do Brasileiro.

Carlos Alberto em nova função

O companheiro de Robinho no ataque será Carlos Alberto, que, segundo o técnico Dorival Júnior, jogará mais adiantado na área, fazendo o papel de pivô.

O Carlos Alberto se dispôs a fazer isso. Quem sabe a gente não possa ganhar uma nova opção no ataque? apostou o treinador.

Com Carlos Alberto mais avançado, o meia Alex Teixeira ganhou o duelo com Philippe Coutinho no meio. A outra mudança é na defesa. Gian, machucado, permitiu que Titi voltasse a ter nova chance.

Em sexto lugar na tabela, com 12 pontos ganhos, o Vasco não pode nem empatar se quiser voltar à zona de classificação para a Série A, entre os quatro primeiros colocados. Um insucesso no Sul pode fazer o time despencar ainda mais na tabela. Preocupado com o momento de instabilidade da equipe, o treinador conversou muito com os jogadores ao longo da semana e está confiante em uma reação.

Temos que vivenciar cada partida como se fosse uma decisão. Está na hora de buscarmos uma definição na competição analisou o treinador, preocupado com os últimos resultados da equipe (empate em 0 a 0 com Duque de Caxias, Guarani e São Caetano, e derrota para o Paraná por 3 a 1, sem contar o empate em 0 a 0 com o Corinthians pela Copa do Brasil).

Nesta sexta, o departamento jurídico do clube conseguiu um efeito suspensivo para a punição de 30 dias imposta pelo STJD a Dorival Júnior. Com isso, o treinador poderá comandar o time do gramado.