Curva oscila próxima da estabilidade no curto prazo

SÃO PAULO, 19 de junho de 2009 - Após os ajustes de ontem à ata da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) da semana passada, a curva de juros a termo oscila próximo da estabilidade nesta sexta-feira. Porém, algumas taxas de longo prazo continuam apontando para cima, aquecendo os debates sobre o rumo da política monetária em 2010.

"Depois de ler a ata, o mercado ficou convencido de que o ciclo de alívio monetário não acabou na reunião de junho, mas que está muito perto do fim", observa um operador. No relatório, o BC falou em ajuste residual dos juros, abrindo espaço para apostas em pelo menos mais uma queda da Selic, menor, de no máximo 0,50 ponto.

Na BM&FBovespa, as projeções do DI de janeiro de 2011, o mais líquido, apontava taxa anual de 10,21%, ante 10,12% do ajuste anterior. Janeiro de 2010 projetava juro de 8,86%, mesmo da véspera.

Na gestão de dívida pública, o Banco Central (BC) realizou leilão de venda com Letras do Tesouro Nacional (LTN), Notas do Tesouro Nacional série F (NTN-F) e Notas do Tesouro Nacional série B (NTN-B) com compromisso de recompra.

(Simone e Silva Bernardino - IN)