Produção de petróleo e gás aumenta 6,7% em maio

SÃO PAULO, 18 de junho de 2009 - A Petrobras informou hoje que sua produção média de petróleo e gás natural no Brasil alcançou 2.310.012 barris de óleo equivalente por dia (boed) em maio, refletindo um aumento de 6,7% sobre o volume produzido em maio do ano passado (2.165.430 boed) e de 1,1% em relação à produção do mês anterior.

A produção exclusiva de petróleo dos campos nacionais, de 1.989.322 barris por dia, superou em 7,3% a do mesmo mês do ano passado (1.853.743 barris por dia) e foi 0,7% maior do que o volume produzido em abril (1.975.540 barris por dia).

A estatal explica em comunicado que o aumento de 14 mil barris deve-se à entrada em produção de poços nas plataformas P-50 (Albacora Leste) e P-53 (Marlim Leste), além do aumento da produção dos poços do navio-plataforma FPSO Cidade de Niterói (Marlim Leste), todos na Bacia de Campos.

Considerados os campos do Brasil e do exterior, a produção total de petróleo e gás natural da companhia atingiu a média diária de 2.546.553 barris de óleo equivalente diários (boed). Esse resultado foi 7,6% maior que a produção de maio de 2008 e 1,1% acima do volume total extraído em abril do corrente ano dos campos da empresa no País e no exterior.

O volume de petróleo e gás natural proveniente dos nove países onde a Petrobras mantém ativos de produção, em barris de óleo equivalente, chegou a 236.541 boed, 1,2% superior ao volume produzido no mês anterior e 17,2% acima da produção de maio de 2008. A entrada em produção de novos poços produtores nos campos de Agbami e Akpo, ambos na Nigéria, contribuiu para o aumento dos volumes produzidos no exterior.

A produção de gás natural dos campos nacionais foi de 50,986 milhões de metros cúbicos diários, mantendo-se nos mesmos níveis do volume produzido em abril e no mesmo mês de 2008.

A produção de gás natural no exterior foi de 17,033 milhões de metros cúbicos diários, apresentando um acréscimo de 0,8% em relação ao mês anterior, em decorrência de um aumento na demanda de gás proveniente da Bolívia. Já em relação ao mesmo período do ano passado, houve um aumento de 12%, devido à reversão do impacto negativo, registrado em maio de 2008, de uma paralisação operacional na Argentina.

(Redação - IN)