Momento é ideal para manter dinheiro na poupança

SÃO PAULO, 18 de junho de 2009 - Como o governo ainda não anunciou a nova alíquota de imposto dos fundos de investimentos, o ideal para o investidor é manter suas reservas na caderneta de poupança, avalia a pesquisadora de economia da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor - Pro Teste, Verônica Tostes.

Segundo ela, manter o dinheiro na caderneta de poupança, neste momento, tem melhor rentabilidade do que aplicar em muitos fundos de investimento conservadores, pois as novas regras para a poupança, anunciadas em maio pelo governo, serão postas em prática a partir de janeiro de 2010.

Dentre as novas regras, saldos de poupança que superarem os R$ 50 mil recolherão imposto de renda. A cobrança ocorrerá enquanto a taxa Selic estiver abaixo de 10,50% ao ano. Os que não atingirem esse limite, contudo, seguem isentos, com rentabilidade de 6,17% ao ano mais TR.

A pesquisadora ressalta ainda que com a queda da Selic, os títulos públicos têm ficado cada vez menos atrativos. Vale lembrar que os fundos de investimento, principalmente aqueles que têm relação mais direta com a taxa, como é o caso dos fundos DI, curto prazo, Renda fixa, etc), atravessam alguma dificuldade, diante das reduções sucessivas dos juros. A maioria desses fundos já perde em rendimento para a poupança. Somente fundos de renda fixa ou DI com taxa de administração igual ou inferior a 1% conseguiriam empatar ou ganhar da poupança por prazos mais longos de aplicação.

Além das mudanças previstas para 2010 na caderneta de poupança, o governo anunciou que reduzirá, ainda em 2009, por meio de medida provisória, a cobrança do Imposto de Renda nos fundos de investimento, para impedir que haja essa migração de grandes investidores para a poupança.

Segundo dados do Banco Central (BC) do dia 1º a 12 de junho, a poupança apontou captação líquida (diferença entre depósitos e saques) de R$ 1,353 bilhão. Em maio a captação líquida foi de R$ 1,880 bilhão.

Dados da Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid) revelam que os fundos DI perderam R$ 1,932 bilhão em captação líquida do dia 1º a 12 de junho, e os de renda fixa, ganharam R$ 290 milhões.

(Maria de Lourdes Chagas - IN)