Cuca tenta consertar os muitos erros do time para se manter no emprego

Julio Calmon, Jornal do Brasil

RIO - Mantido no comando técnico do Flamengo após a goleada de 5 a 0 para o Coritiba, Cuca se equilibra como pode para permanecer no emprego. O voto de confiança dado a ele pela diretoria no início da semana parece não ter muita validade neste momento, ainda mais quando presidente e vice do clube admitiram que já têm plano B caso o técnico peça demissão. Cercado de polêmicas que brotam no dia-a-dia confuso do clube, o treinador tenta arrumar tranquilidade para acertar o time para a partida de domingo, contra o Internacional, às 18h30, no Maracanã, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro.

Com nove gols tomados nos últimos dois jogos, Cuca precisa descobrir o que houve de errado com a defesa rubro-negra ao mesmo tempo em que se mantém no comando da equipe. Na tarde do próximo sábado, o time deixa Teresópolis (onde se refugiou em busca de um acerto no relacionamento entre a comissão técnica e os jogadores) sem ter a certeza de que o problema será resolvido.

Sem Aírton, expulso contra o Coritiba por ter pisado no argentino Ariel, mais uma vez Cuca escalará na zaga o jovem Welinton, que ainda não fez uma boa partida no Brasileiro. O zagueiro foi titular nas derrotas para Cruzeiro, Sport e Coritiba sendo expulso uma vez e falhado em vários gols. No coletivo realizado nesta quinta-feira, ele foi confirmado. Com Emerson liberado para uma audiência judicial no Rio, o técnico deu mais uma oportunidade para Aleílson no time titular. Léo Moura, recuperado de uma lombalgia, participou do coletivo. Willians, que cumpriu suspensão na última rodada, também está de volta à equipe.

Na vitória por 4 a 0 dos titulares, com dois gols de Adriano, o time jogou com Bruno, Léo Moura, Welinton, Ronaldo Angelim e Juan; Toró, Willians, Ibson e Everton; Aleílson e Adriano. Cuca, por sinal, é outro confirmado no time até domingo.

As coisas no futebol são muito rápidas. Até o jogo contra o Sport tínhamos padrão de jogo. Ainda fizemos 26 minutos fantásticos e tomamos quatro gols. Durante a semana, tivemos alguns problemas internos divulgados. Contra o Coritiba, não fomos bem disse Cuca. O futebol é dinâmico. Temos três jogos em casa para nos recuperamos. Os 5 a 0 para o Coritiba foi atípico.

Não foi a primeira vez que o técnico esteve ameaçado nesta segunda passagem pelo Flamengo. Logo depois de ser eliminado para o modesto Resende na semifinal da Taça Guanabara, empatar com o fraco Tigres e perder para o rival Vasco, tudo em um mês, o emprego de Cuca esteve por um fio. Para sua sorte, o time emplacou uma sequência de 11 partidas sem perder e ainda conquistou a Taça Rio e o tricampeonato carioca.

Tudo mudou com o início do Brasileiro, a chegada de Adriano e a eliminação da Copa do Brasil. As recentes derrotas para o Sport e Coritiba não foram bem digeridas por gente dentro do clube. Seu temperamento também é criticado internamente. Há jogadores que estão insatisfeitos pelo fato de Cuca ter feito críticas públicas sobre eles, piorando o relacionamento que já era ruim entre técnico e atletas.

Com 32 jogos no comando do time nesta temporada (17 vitórias, nove empates e seis derrotas, com apenas 62,50% de aproveitamento), Cuca garante que sua vida no Flamengo continua e que o período de internação em Teresópolis fez bem para a equipe.

Se eu estava um pouquinho caidinho, estou em pé de novo e o grupo está junto nessa empreitada.

Concurso de Adriano

Ontem, o clube anunciou o início do concurso para escolher o número da camisa de Adriano. Para participar, o torcedor terá que se inscrever no site www.flamengo.com.br/camisadoadriano. O vencedor levará, entre outros prêmios, dois jogos completos de uniformes oficiais.

Outras novidades virão dentro de campo. O vice-presidente de futebol Kleber Leite confirmou que o elenco estará todo fechado em duas semanas. O Flamengo espera contar mais um zagueiro, um meia e um atacante. O que está mais próximo de acertar é Pablo Escobar, centroavante do Santo André, que atuou no Ipatinga no ano passado e pertence ao The Strongest, da Bolívia.