Índices dos EUA terminam mistos com plano de Obama

SÃO PAULO, 17 de junho de 2009 - Os índices dos Estados Unidos terminaram o dia sem tendência, influenciados pelo plano de reforma financeira proposto por Barack Obama. As ações do setor bancário pesaram sobre os negócios.

O índice Dow Jones Industrial Average caiu 0,09%, aos 8.497 pontos. O S&P 500 recuou 0,14%, para 910 pontos. E na bolsa eletrônica, o índice composto Nasdaq ganhou 0,66%, para 1.808 pontos.

"Não fomos nós quem escolhemos a forma como surgiu esta crise, mas podemos escolher os meios para lidar com ela", declarou Obama ao apresentar a reforma, anunciada como uma das prioridades de seu governo. "Minha administração propõe hoje uma ampla reforma do sistema de regulação financeira, uma transformação inédita desde as reformas que seguiram a Grande Depressão", acrescentou.

As propostas, que ainda terão de ser aprovadas pelo Congresso, têm como objetivo dar ao Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) novos poderes de regulação sobre as maiores instituições financeiras do país.

Além disso, a agência de classificação de risco Standard & Poor´s rebaixou hoje o rating e as perspectivas de 22 bancos dos Estados Unidos. Em comunicado, a instituição justificou que a ação " reflete a visão de que as condições operacionais para a indústria se tornarão menos favoráveis do que foram no passado, caracterizadas por uma maior volatilidade nos mercados financeiros durante os ciclos de crédito e pela supervisão regulatória mais dura."

O Wells Fargo caiu 5,37%, o Morgan Stanley recuou 2,21% e o Bank of American perdeu 3,38%.

(Sérgio Toledo - IN)