Conservar para viver melhor

Mario Mantovani *, Jornal do Brasil

RIO - Hoje é o Dia Nacional da Mata Atlântica, e atualmente vivem neste Bioma desde habitantes de grandes metrópoles até comunidades indígenas, caiçaras, ribeirinhas e quilombolas. É na Mata Atlântica que estão nossas maiores cidades e polos industriais. Nela se desenvolveram também ciclos econômicos históricos desde a chegada dos portugueses ao solo brasileiro: ouro, cana-de-açúcar, café etc.

Diante de tanto impacto, este bioma já foi muito devastado, mas mesmo com essa devastação continua sendo responsável por garantir serviços ambientais essenciais para a vida humana e para qualidade de vida das pessoas que nele vivem.

A Mata Atlântica abriga as nascentes de diversos rios que abastecem as principais cidades e metrópoles brasileiras. A floresta garante água limpa, já que protege e regula o fluxo de mananciais hídricos. Garante ainda ar puro, fertilidade do solo e controle do clima local, além de possuir uma rica e preciosa diversidade biológica, com espécies importantes para as mais diversas pesquisas, fonte de alimentos e matéria prima para remédios.

O elevado grau de devastação da Mata Atlântica ameaça inúmeras espécies de plantas e animais, muitas delas que só ocorrem neste bioma e hoje estão ameaçadas de extinção, tais como o mico-leão-preto, a perereca verde, a saíra-apunhalada, o chauá-verdadeiro, o pato-mergulhão, o mutum-do-sudoeste, o rato-do-mato-vermelho e a jararaca-ilhoa. Das 633 espécies animais ameaçadas de extinção no Brasil, 383 ocorrem na Mata Atlântica. Além de proteger cerca de 20 mil espécies de plantas, incluindo as medicinais, do bioma também se originam diversos produtos como palmito, erva-mate e madeiras explorados, geralmente, de maneira insustentável.

Nossas grandes cidades, como São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Recife, estão neste bioma e dele dependem para ter um mínimo de qualidade de vida. A Mata Atlântica está aí na sua casa, no seu escritório, na sua rua, mesmo que você não more numa casa na árvore. Uma das espécies que está em jogo é o ser humano. Nós todos somos parte do problema, mas também parte essencial da solução. Economizar água e energia elétrica, separar o lixo reciclável, praticar o consumo consciente e usar transporte coletivo são algumas práticas que podem trazer mais sustentabilidade a sua vida.

É fundamental que a sociedade tenha conhecimento sobre a importância do bioma e que seja mobilizada para a urgência da conservação do meio ambiente, pois todos nós somos responsáveis direta ou indiretamente pela degradação ambiental, além de sermos também os maiores interessados em preservá-lo, já que recebemos os serviços ambientais gratuitamente e dependemos deles para sobreviver. Todo cidadão pode adotar a prática dos três erres : reduza, reutilize e recicle, pois desta forma, já estará contribuindo para um mundo melhor e mais sustentável.

Conhecer a Mata Atlântica e entender que ela está inserida em nosso dia-a-dia é o primeiro passo para colaborar com a conservação da floresta. A nossa sobrevivência depende de nossos próprios atos. Procure se informar e mude de atitude. Para conhecer os projetos da SOS Mata Atlântica acesse o site www.sosma.org.br.

* diretor de Mobilização da Fundação

SOS Mata Atlântica