México nega ter ocultado informações

SÃO PAULO, 12 de maio de 2009 - O ministro da Saúde do México, José Angel Córdova, negou hoje que o governo tenha ocultado informações sobre a epidemia da gripe A (H1N1) devido à visita do presidente norte-americano, Barack Obama, feita em abril.

A hipótese foi ventilada pelo ex-presidente cubano Fidel Castro em um artigo publicado pela imprensa oficial da ilha. "Relatamos de forma detalhada todos os casos [da doença] à Organização Mundial da Saúde (OMS)", disse Córdova. "Nunca houve nenhum tipo de encobrimento", reforçou.

As afirmações de Fidel reacenderam a polêmica que nos últimos dias conturbou o relacionamento entre as duas nações. O governo do México não gostou da decisão tomada por Havana de suspender os voos diretos entre os dois países para evitar a chegada de pacientes possivelmente infectados.

Ontem, Cuba reportou seu primeiro caso da doença: um estudante de medicina mexicano que havia passado férias em seu país e retornou no fim de abril.

No México, as autoridades decretaram o estado de emergência sanitária por causa da epidemia no dia 23 do mês passado. Obama, por sua vez, havia visitado o país uma semana antes, entre os dias 16 e 17.

Por causa da decisão cubana, que também foi tomada por Argentina, Peru e Equador, o presidente do México, Felipe Calderón, cogitou cancelar uma visita que fará a Havana.

(Redação - Agência JB Online)