Economia norte-americana retoma no 3º tri, diz pequisa

SÃO PAULO, 11 de maio de 2009 - A economia dos Estados Unidos deve começar a crescer outra vez no segundo semestre deste ano, e a expectativa é que o índice de desemprego chegue ao ponto máximo no primeiro trimestre de 2010, segundo boletim de maio da Blue Chip Economics Indicators, que reúne os principais institutos de previsões do país.

O consenso entre os especialistas é que o PIB real encolha 2,8% em 2009, mas cresça 1,9% em 2010. A desaceleração econômica deve diminuir no segundo trimestre do ano, diz a pesquisa, quando a previsão é de uma redução em índice anual de 1,7% - 0,4 ponto percentual melhor do que a previsão traçada um mês atrás.

Para o terceiro trimestre, a previsão estima o crescimento em 0,5% anuais. O avanço no quarto trimestre é avaliado em 1,8%.Apesar da expectativa de crescimento, 32% dos especialistas preveem que o índice de desemprego chegará ao pico no primeiro trimestre de 2010, quando deverá bater os 10%.

Segundo dados do Departamento do Trabalho em Washington, divulgados na sexta-feira, a taxa de desemprego nos Estados Unidos saltou para 8,5% em abril - a mais elevada desde setembro de 1983. O estudo revelou, entretanto, que as empresas norte-americanas fecharam menos postos de trabalho no mês, com o surgimento de sinais de que o pior da recessão dos Estados Unidos teria passado. As empresas suprimiram 539 mil empregos em abril, depois da perda de 699 mil registrada em março.

"Parece que passamos o ponto dos fechamentos de vagas mais graves", disse Dean Maki, co-diretor de pesquisa em economia norte-americana do Barclays Capital de Nova York. "O mercado de trabalho ainda está enfraquecendo, mas com menor velocidade. Há alguns entraves ao crescimento, e uma recuperação", mais provavelmente, "será modesta".

As correções subtraíram 66 mil postos de trabalho dos dados das folhas de pagamento anteriormente notificadas para março e fevereiro.

O destaque positivo foi o governo norte-americano. As folhas de pagamento do funcionalismo público agregaram 72 mil empregos, depois de recuar 6 mil. O Departamento de Censo dos Estados Unidos começou a contratar cerca de 140 mil funcionários temporários no mês passado para iniciar a contagem da população, que ocorre uma vez a cada 10 anos.

(Gazeta Mercantil)