BB disponibiliza extratos à segurados meio de TAAs

BRASÍLIA, 5 de maio de 2009 - Segurados da Previdência Social que forem clientes do Banco do Brasil já podem obter extratos de sua situação previdenciária diretamente nos 40 mil terminais de autoatendimento (TAAs) do banco ou por meio do site de relacionamento do BB com os clientes pela internet.

A novidade foi apresentada hoje pelo presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, e pelos ministros da Previdência, José Pimentel, e do Planejamento, Paulo Bernardo. A medida deve atender 30 milhões de correntistas. Segundo Pimentel, até o final do ano o mesmo sistema de consulta às informações previdenciárias deverá também estar disponível para quem tem conta na Caixa Econômica Federal.

"Isso vai permitir o acompanhamento mensal do lançamento das contribuições. E se o segurado identifica qualquer falha vai poder agilizar o pedido de correção", disse o presidente do Banco do Brasil. BB e Caixa são as instituições financeiras que têm acesso garantido por lei ao Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS). Para que outros bancos possam oferecer também acesso às informações previdenciárias será necessário haver autorização do Legislativo", destacou Pimentel.

O CNIS foi criado em 1989. Trata-se de um banco de dados que agrupa informações trabalhistas e previdenciárias dos trabalhadores. A partir do final do ano passado, os dados presentes no CNIS passaram a ser oficialmente reconhecidos para obtenção de direitos previdenciários, permitindo o lançamento do projeto de concessão de aposentadoria em meia-hora. Antes disso, o segurado tinha de apresentar todos os comprovantes de vínculos de trabalho e arrecadações à Previdência.

Para ter acesso ao extrato previdenciário nos terminais do BB será utilizada a mesma senha de acesso à conta corrente. O documento apresentará todas as informações cadastrais, os vínculos empregatícios e remunerações obtidas. Serão informados os vínculos de empregos registrados desde 1976. Já as remunerações mensais, base para o cálculo das contribuições previdenciárias, seguem um histórico disponível a partir de julho de 1994.

(Ayr Aliski - Gazeta Mercantil)