Negócios caem 20% com crise e falta de crédito

RIBEIRÃO PRETO (SP), 4 de maio de 2009 - A 16ª Agrishow - Feira Internacional da Tecnologia Agrícola em Ação terminou neste sábado, em Ribeirão Preto, com queda de 20% no número de visitantes e no volume de negócios. Segundo Cesário Ramalho, presidente do conselho consultivo da Agrishow e presidente da Sociedade Rural Brasileira (SRB), levantamento dos organizadores realizado junto às empresas e bancos participantes do evento (Banco do Brasil, Bradesco, Nossa Caixa e Santander) aponta para negócios de R$ 680 milhões, ante R$ 850 milhões em 2008. O número de visitantes caiu de 140 mil para 110 mil.

"A feira reflete a situação do agronegócio nacional, que sofre com a falta de crédito e com a crise econômica internacional", disse Ramalho. "A Agrishow mostrou para o Brasil que vivemos uma crise e que é preciso tomar medidas para enfrentá-la", afirmou.

Ramalho admite que a ausência dos grandes fabricantes de tratores e colheitadeiras (John Deere, CNH e Agco) desta edição da feira também influenciou na queda do desempenho da Agrishow. Filiados à Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA), esses grupos anunciaram conjuntamente, em dezembro, que não participariam da feira como forma de contenção de custos.

Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), o faturamento e as exportações de máquinas e implementos agrícolas caíram 44% no primeiro trimestre deste ano.

Entre 27 de abril e 2 de3 maio, a Agrishow reuniu, no Pólo Regional de Desenvolvimento Tecnológico dos Agronegócios do Centro-Leste, em Ribeirão Preto, 725 expositores, numa área bruta de exposição de 240 mil m2. A feira é organizada e promovida pela Reed Exhibitions Alcantara Machado.

(Edson Álvares da Costa - Gazeta Mercantil)