Berlusconi afirma que epidemia não chegou à Itália

SÃO PAULO, 28 de abril de 2009 - O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, garantiu nesta terça-feira que não há, até o momento, risco de contaminação da gripe suína no país, e ressaltou que é necessário buscar um antídoto para a doença o mais rápido possível.

"É preciso não falar demais nesta fase. Para o Estado não há nenhum sinal de perigo, mas é preciso trabalhar para encontrar um antídoto, que até hoje ainda não existe", afirmou o premier, que faz uma visita à Polônia e se reuniu com o primeiro-ministro do país, Donald Tusk".

Berlusconi explicou que o governo italiano já formou um comitê emergencial para tratar do assunto, que está sob coordenação do subsecretário do Ministério da Saúde, Ferruccio Fazio, e pôs à disposição de seus habitantes oito linhas telefônicas para que qualquer registro sobre a doença seja comunicado às autoridades.

"Até agora, não recebemos nenhum sinal" , assegurou.

A epidemia de gripe suína teve origem no México, onde 152 mortes suspeitas podem estar ligadas à contaminação pelo vírus influenza A, chamado de H1N1.

Nos Estados Unidos, há 64 casos confirmados. Também há registros de infecção no Canadá, Israel, Escócia, Espanha e Nova Zelândia.

Há pouco, a ministra da Saúde da Costa Rica, Maria Luisa Avila, confirmou o primeiro caso no país. Trata-se de uma jovem de 21 anos que retornou do México há três dias.

Nesta segunda-feira, Ferruccio Fazio garantiu que o país está preparado para enfrentar um eventual surto da gripe suína, pois tem medicamentos antivirais estocados suficientes.

Os sintomas da gripe suína são similares ao de uma gripe comum: febre acima de 39 ºC, tosse, dores de cabeça, musculares e nas articulações e coriza. Também pode haver vômitos e diarreia.

(Redação - Agência JB Online