Seguranças do Vasco, 6 meses sem receber, ameaçam entrar em greve

Márcia Vieira, Jornal do Brasil

RIO - Os seguranças do Vasco podem entrar em greve a qualquer momento. Segundo um deles, que não quis se identificar, no próximo dia 30 eles completariam seis meses sem receber.

O último salário que recebi foi em setembro. Desde lá não ganhei nenhum tostão. Tenho família e filhos para criar e estou desesperado desabafou um segurança, que garantiu que a diretoria não se pronunciou até agora sobre a situação deles.

O vice-presidente de futebol do Vasco, José Hamilton Mandarino, garantiu que a segurança do clube é terceirizada e que os pagamentos têm sido repassados para a empresa responsável.

Nesta segunda-feira, a diretoria pagou o salário referente ao mês de janeiro ao funcionários. Já os jogadores receberam o mês de fevereiro, vencido na sexta-feira.

Luto

Morreu na manhã desta segunda, em São Januário, um dos funcionários mais queridos do clube. O jardineiro Ronaldo Alexandre Viegas de Carvalho, mais conhecido como Jarrão, foi encontrado morto no banheiro do clube. Há suspeita de que ele tenha sofrido um enfarte fulminante. Jarrão tinha 47 anos e trabalhou no clube durante seis anos. O enterro será nesta terça, às 10h, em Padre Miguel.