Coelho diz ter provas dos desvios de Eurico no Vasco

Márcia Vieira, Jornal do Brasil

RIO - A reunião desta quarta-feira do Conselho Deliberativo do Vasco, convocada pela oposição, promete esquentar ainda mais os ânimos no clube. Principalmente após as denúncias do ex-vice-presidente de marketing José Henrique Coelho de que o ex-presidente Eurico Miranda teria usado dinheiro do Vasco para pagar contas pessoais, honorários advocatícios e até mesmo a sua biografia, ainda não lançada. As denúncias citam também o pagamento de um consórcio de um Audi A3, que não consta hoje da lista de bens do Vasco.

O Eurico não tem o direito de posar de honesto. Um cara rico como ele não pode usar o dinheiro do clube para pagar contas de telefone de até R$ 900 dos quatro filhos acusa Coelho, que diz ter provas que comprovariam os desvios cometidos pelo ex-presidente do clube de São Januário.

Outra grave acusação de José Henrique Coelho é que o ex-presidente teria contratado por R$ 900 mil o advogado e conselheiro Nélio Braga Chambarelli para aconselhar o clube em uma ação contra a Vasco da Gama Licenciamentos (VGL) empresa criada pelo Bank of America para explorar a imagem do clube quando era seu patrocinador. Nélio e sua mulher teriam ganhado do Vasco também passagens aéreas com destino às cidades americanas de Las Vegas e Nova York, segundo José Henrique Coelho.

Eurico se defende

Por telefone, o ex-presidente Eurico Miranda não perdeu a tranquilidade diante das denúncias e prometeu esclarecer os fatos.

Eu não vou responder ao José Henrique Coelho, porque o meu nível é outro. Mas vou me posicionar em relação à posição da mídia no momento certo garantiu o ex-presidente, que confirmou presença na reunião desta quinta-feira à noite do Conselho Deliberativo.

A juíza Marcella Araújo, da 6º Vara Federal de Execução Fiscal, negou nesta quarta-feira o pedido de parcelamento de dívidas fiscais do clube. Com isso, o clube não conseguiu as certidões ficais que permitiriam a assinatura com a Eletrobrás.

Dívidas

Nesta quarta, o Ministério Público do Trabalho ampliou o rol de clubes de futebol investigados por atraso salarial. O MPT apura se Flamengo, Vasco e Fluminense estão em situação irregular. Representantes dos clubes foram notificados a comparecer ao órgão para prestarem esclarecimento. Nesta quarta foi a vez do Vasco. A próxima audiência será sexta, às 13h30, com dirigentes do Flamengo. No dia 7 de abril, será a vez do Fluminense. Se os clubes não assinarem termos de compromisso, medidas judiciais serão adotadas e os clubes serão suspensos da Timemania.