Dorival Júnior nega ameaça de greve por inadimplência

Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - O assunto desta quarta-feira no Vasco-Barra foi salário atrasado. O clube completou, no último dia 20, dois meses sem pagar aos jogadores. A inadimplência com os funcionários chega a quatro meses, apesar do adiantamento de R$ 1 mil na última semana. Mesmo com a promessa da diretoria de que o salário de janeiro será pago até esta quinta ao grupo, o técnico Dorival Júnior tentou acabar com as especulações e o mal-estar. Durante a entrevista coletiva, garantiu que nunca houve ameaça de greve por causa disso e que não pensou em deixar o comando do clube.

Eles estão lutando intensamente para resolver tudo, mas estamos com problemas como todos os outros clubes ponderou o treinador em entrevista ao Globoesporte.com, garantindo ainda que o grupo não está sendo afetado. Posso assegurar que os jogadores estão se empenhando ao máximo.

Demonstrando surpresa sobre a notícia de sua suposta saída, Dorival esclareceu o assunto.

Ninguém ouviu nada parecido. Tenho um contrato de um ano com o Vasco e a multa é bem considerável. Não poderia quitá-la adiantou o treinador.

Titi virou dúvida

No treino da manhã de ontem, o time sofreu uma baixa. O zagueiro Titi sentiu dores na parte posterior da coxa direita e foi poupado da prática.

Vamos tratá-lo e, se não acontecer nada de novo, ele será liberado para o treino desta quinta disse o médico Fernando Mattar.

Se Titi for vetado, seu substituto para o jogo de domingo, contra o Friburguense, na estreia na Taça Rio, será o zagueiro Leonardo.

O clube ainda não conseguiu quitar os valores das certidões negativas para fechar o patrocínio com a Eletrobrás, mas o colaborador Fernandão se mantém otimista:

Até semana que vem tudo estará resolvido. E atrás do acerto com a Eletrobrás virá muita coisa boa.