Botafogo vai em busca de troféu inédito

Fúlvio Melo, Jornal do Brasil

RIO DE JANEIRO - Após vencer a Taça Guanabara, o Botafogo volta a campo nesta quinta-feira, às 21h30, no Bezerrão, para a estreia na Copa do Brasil contra o modesto Dom Pedro-DF. Além da vaga na Libertadores concedida ao campeão, os alvinegros tentam pôr fim a um jejum. Em 20 anos de disputa do torneio nacional, nenhum jogador do elenco nem o clube jamais venceram a competição.

É um título que a torcida e nós ainda não temos. Sem falar na possibilidade de jogar uma Libertadores disse Leandro Guerreiro, que desclassificou o Guarani da competição, em 2003. A CBF esqueceu de publicar meu nome do BID (o cadastro de jogadores) e acabamos desclassificados. Depois a entidade reconheceu o erro, mas não teve jeito.

Semifinalista no ano passado, quando foi eliminado pelo Corinthians na disputa de pênaltis, a equipe da estrela solitária já esteve bem perto do título. Em 1999, o Botafogo chegava à final para enfrentar o Juventude. Em Caxias do Sul, derrota por 2 a 1. Na jogo de volta, no Maracanã, com 101.158 presentes, maior público da história da competição, Bebeto e companhia não conseguiram sair do 0 a 0 e ficaram com o vice.

Do banco vem a inspiração agora. Em 2006, Ney Franco começou o torneio dirigindo o Ipatinga. Eliminado nas semifinais pelo Flamengo, acabou assumindo o rubro-negro. Com a paralisação do torneio em função da Copa do Mundo, Ney teve tempo de preparar o time da Gávea para as finais contra o Vasco. No fim, veio o título do Flamengo, com Ney.

Sem dúvida foi um momento especial na minha carreira. A Copa do Brasil tem esse estilo mata-mata e muitas equipes menores podem surpreender. Apesar de não ser jogada toda semana é curta. Cada falta de atenção pode custar a classificação afirmou Ney Franco.

Oportunidade

O time desta quinta mudou em relação à equipe que venceu o Resende. As alterações são o retorno do volante Léo Silva e a saída do zagueiro Wellington, com Leandro Guerreiro voltando para a zaga. Na frente, o meia Jean Carioca ganha sua primeira chance no ano como titular. Ele entra no lugar do também meia Lucas Silva.

Éder, meu assistente, foi ver o empate deles no último domingo. Fizemos um treino tático para enfrentar o sistema que eles jogam frisou o treinador.

Durante o treino de ontem, um bom número de torcedores esteve presente no Mané Garrincha e soltou a voz no mais novo hit alvinegro, Na beira do caos, música composta por Ney Franco.

Com os cofres ainda combalidos, apesar dos salários em dia, o Botafogo sonha com as cotas de TV distribuídas na Copa do Brasil.

A classificação para a Libertadores muda todo um planejamento e orçamento de um clube. Vamos atrás disso disse Ney.

Cara conhecida

Ainda pouco conhecido, o Dom Pedro apareceu quando enfrentou o Fluminense na Série C do Brasileiro em 1999. Ficou conhecido como time de bombeiros, já que alguns jogadores atuavam na brigada de incêndio local. O principal destaque do Dom Pedro é o veterano atacante Renaldo, 38 anos, ex-Atlético-MG.

Vice-líder do Campeonato Estadual, com 18 pontos três atrás do líder Brasiliense o time candango ajuda a engrossar a lista de nomes inusitados da competição, com os exóticos Kabila e Bispo. Mas os alvinegros pregam o mesmo respeito ao time brasiliense.

Temos que entrar com a mesma postura do jogo contra o Resende, para começarmos com o pé direito frisou Leandro.